Festa de Réveillon do Recife terá cinco palcos. Veja a programação

Festa de Réveillon do Recife terá cinco palcos. Veja a programação

44
Compartilhar

Tocando de Primeira

A festa de Réveillon do Recife será descentralizada neste ano. Além dos palcos tradicionais montados no Pina e em Boa Viagem, mais três bairros contam com programação musical para comemorar a chegada de 2020.

Recebem shows durante a virada os bairros do Ibura, Imbiribeira e Várzea. Repetindo a experiência do Carnaval, essas localidades devem receber até 15 mil pessoas. Ao todo, mais de 40 atrações se apresentam em cinco palcos. A programação musical inclui ritmos como frevo, samba e brega. A principal atração será Gaby Amarantos, que já desfilou no trio elétrico do Galo da Madrugada e canta pela primeira vez no Réveillon do Recife, logo após a meia noite.

Com investimento maior do que no ano passado (R$ 1,5 milhão) a prefeitura deve gastar mais de R$ 2 milhões por conta da maior quantidade de polos e artistas convidados. O show pirotécnico também será maior. Durante 15 minutos serão queimadas 21 toneladas de fogos, três a mais que no ano passado. Três balsas com sete toneladas cada uma ficarão a mais de 400 metros da praia em três pontos: Acaiaca, Segundo Jardim e Pina.
Durante a noite, mais de 30 atrações se apresentam na orla. No Acaiaca irão cantar a banda Cascabulho, Lia de Itamaracá, Spok, Nena Queiroga, André Rio, Gerlane Lops, Almir Rouche, Bia Vila Chan e Beto Hortis. Depois da virada é a vez de Gaby Amarantos e Maestro Forró, que encerra a noite. Já no Pina, a festa dá vez ao brega com shows de Michele Melo, Musa, Banda Swing novo e Belo Xis.
A secretária de Turismo, Esportes e Lazer, Ana Paula Vilaça, esclarece que a apresentação com fogos acontece apenas na orla e não nos polos localizados dentro dos bairros. “Temos preocupação com o meio ambiente, a proteção dos animais e em seguir todas as normas do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Capitania dos Portos. A gente sempre procurou minimizar os efeitos sonoros dos fogos.
Esse ano vamos ter menos barulho. Diferente de outras cidades em que a queima acontece junto dos prédios, as balsas estarão a 400 metros da praia e causando menor ruído. Os nossos fogos são de efeito visual e gráfico e não de tiro e estampido. Teremos ainda uma mensagem escrita nos fogos”, explica.
Fonte: Diario de Pernambuco
Tocando de Primeira