Terremotos no Japão fazem até agora 41 mortos e milhares de feridos

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TRAGÉDIA

Postado em 16 de abril de 2016

G1

Uma série de terremotos registrados desde quinta-feira (14) no sudoeste do Japão fez ao menos 41 mortos, enquanto as autoridades temem novos deslizamentos e um número maior de vítimas em razão das dezenas de pessoas que seguem soterradas.

A região de Kumamoto, na ilha de Kyushu, foi atingida nas últimas 48 horas por uma série de terremotos e réplicas que provocaram uma gigantesca avalanche de lama e pedras que soterrou casas e cortou uma autoestrada.

“Salvamos pessoas sob escombros em várias partes. A polícia, os bombeiros e as forças de autodefesa fazem tudo para socorrer as vítimas”, declarou à AFP Yumika Kami, porta-voz da prefeitura de Kumamoto.

Cerca de mil pessoas ficaram feridas, 184 delas com gravidade, segundo as autoridades locais.

“A prioridade é salvar vidas. Devemos agir rapidamente”, declarou o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, que cancelou sua visita à região e convocou uma reunião de crise. “Está previsto que o tempo piore (…) havendo o risco de novos deslizamentos e outros desastres”, advertiu.

O governo enviou 25.000 soldados e 1.000 socorristas para ajudar nos trabalhos de resgate.

A agência meteorológica japonesa, que prevê fortes chuvas durante o fim de semana, alertou para a possibilidade de novos deslizamentos de terra em um solo enfraquecido pelos tremores.

A localidade de Misato aconselhou cerca de 10.000 habitantes a deixar a zona por precaução, segundo a rede de televisão NHK.

“Medo”
O terremoto deste sábado, de 7 graus de magnitude segundo o Instituto de Geofísica americano (USGS), foi registrado à 1h25 local (13h25 de sexta-feira no horário de Brasília), provocando um alerta de tsunami na costa oeste de Kyushu, que logo foi cancelado.

A agência meteorológica japonesa avaliou o tremor em 7,3 graus e indicou que o terremoto de quinta-feira foi um “precursor”.

Na quinta-feira, um terremoto de 6,5 graus de magnitude atingiu a ilha e provocou 9 mortes e 900 feridos, dos quais 50 gravemente. Desde então, mais de 100 tremores secundários foram registradas na região.

“Saí da minha casa. Não podia ficar lá por causa dos tremores seguidos”, disse Hisako Ogata, de 61, que foi levada para um parque perto de sua casa em Kumamoto junto com outras 50 pessoas. “Estava com tanto medo”, desabafou.

“O último terremoto foi tão forte, ou até mais forte que o terremoto original”, declarou Shotaro Sakamoto, agente da prefeitura de Kumamoto.

Neto Lira – Latino News Brasil

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar