Diagnostico de causa de fraqueza muscular agora pode ser feito no Hospital Oswaldo Cruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

HospitalO Hospital Universitário Oswaldo Cruz da Universidade de Pernambuco (Huoc/UPE) dá um passo importante no cenário de diagnóstico das miopatias – um grupo de doenças neuromusculares caracterizadas especialmente por fraqueza intensa e progressiva, capaz de levar a dificuldades para realização de atividades rotineiras, como subir escadas, caminhar, escovar os dentes e pentear o cabelo. Recentemente, o hospital inaugurou o Laboratório de Biópsia Muscular Professora Dra. Maria Eunice de Vasconcelos Xavier Coelho, um serviço pioneiro nas redes pública e privada do Norte e Nordeste do Brasil.

No laboratório, os pacientes podem se submeter a biópsias musculares, que retiram uma amostra de músculo (do braço ou da coxa, por exemplo). O material é analisado através de métodos essenciais que estabelecem a causa das miopatias e ajudam o médico a conduzir um tratamento adequado. “Vários são os motivos de aparecimento dessas doenças. Em relação às miopatias adquiridas, podemos citar como causas o uso de algumas medicações, como corticoides e estatinas prescritas para tratar colesterol alto”, diz a neurologista Carolina Cunha, que está à frente do laboratório. Ela frisa que há também a classe das miopatias hereditárias, que englobam distrofias musculares, como a de Duchenne.

Quanto mais cedo os pacientes iniciam a terapêutica (contempla não apenas medicações, mas também atividade físico e acompanhamento nutricional específico), maiores são as chances de diminuir o impacto decorrente da doença neuromuscular.

“Os pacientes que precisavam se submeter a uma biópsia muscular tinham que recorrer a Estados do Sudeste e Sul do País, pois não contávamos com um laboratório com essa metodologia no Norte-Nordeste”, informa Carolina. Assim, a neurologista acrescenta que esse atendimento especializado do hospital minimiza gastos do Sistema Único de Saúde (SUS), que custeia a assistência integral à saúde de pacientes fora do domicílio.

O técnico de enfermagem o técnico de enfermagem João Vasconcelos, 32 anos, tem miopatia desde que nasceu, mas só descobriu aos 26 anos. “Sentia muita fraqueza muscular: não conseguia fazer o mínimo esforço porque me cansava facilmente. Subir escadas e caminhar eram tarefas difíceis. Achava que era falta de condicionamento físico, mas a fadiga vinha da doença. Depois que comecei o tratamento, minha qualidade de vida melhorou demais”, conta João.

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar