Consumidor denuncia e Procon constata venda de camisinhas vencidas em Manaus

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

PROCON

Postado em 04 de julho de 2015

Do A Crítica – Manaus

Todas as sete drogarias fiscalizadas pelo Procon Estadual estavam vendendo o produto, que foi recolhido das prateleiras

O Programa Estadual de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon-AM) constatou a venda de camisinhas vencidas em Manaus. Segundo o órgão, os preservativos Elite dos lotes DFV, DFI e BFIII, produzido pela Fábrica de Artefatos de Látex Blowtex Ltda., integrante da multinacional Ansell, não podem ser comercializados por estarem com o prazo de validade vencido e adulterado e a indicação dos lotes em desacordo com o informado nas embalagens interna e externa de cada um deles.

Preservativos foram encontrados em sete drogarias de Manaus (Divulgação)
Preservativos foram encontrados em sete drogarias de Manaus (Divulgação)

De acordo com a coordenadora do Procon-AM, Rosely Fernandes, o fato foi registrado pelo Setor de Fiscalização do órgão, que verificou o produto à venda em sete drogarias de Manaus e constatou a veracidade da denúncia. Todos os lotes de camisinha inadequados que estavam sendo comercializados nos locais fiscalizados foram apreendidos pelo Procon-AM.

Soubemos da infração, através de denúncia realizada por um consumidor, que veio ao Procon e trouxe o produto. É uma questão grave que atenta a saúde e a segurança sexual do consumidor, pois, apresenta padrões inadequados de qualidade, segurança, durabilidade e desempenho, em desconforme com o Código de Defesa do Consumidor”, disse.

A fabricante foi notificada nesta quinta-feira, 2 de junho. Caso não retire imediatamente os produtos do comércio e não se enquadre nos padrões de qualidade, a empresa deverá ser autuada conforme a Lei.

O fato gerou Procedimento Administrativo Preliminar e foi enviado a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e ao Procons-Brasil. “Por tratar-se de uma multinacional, esses produtos podem estar à venda em qualquer parte do Brasil, por isso, tomamos a iniciativa de avisar aos órgãos de atuação nacional para que tomem as devidas providências”, explica Fernandes.

Júnior Trindade – Latino News Brasil

Imagem2CLIQUE AQUI E ACESSE NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar