Hillary Clinton e Donald Trump confirmam que são os favoritos nas eleições dos EUA

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

POLÍTICA

Postado em 20 de abril de 2016

Correio Braziliense

Hillary Clinton e Donald Trump afastaram ontem, em Nova York,  as dúvidas que podiam restar sobre a capacidade de se enfrentarem nas urnas em novembro, na disputa pela Casa Branca. Resultados preliminares das primárias republicanas indicavam vitória por ampla margem para o magnata do setor imobiliário — a ponto de os principais jornais e sites cravarem o resultado como definitivo assim que as urnas se fecharam. No Partido Democrata, a ex-secretária de Estado confirmou a força que possui em seu reduto eleitoral, mesmo diante do crescimento do desafiante Bernie Sanders.

Com 83% dos votos apurados, Trump liderava com 60%, contra 25% para o governador John Kasich e 15% para o senador Ted Cruz. Hillary aparecia com 57,5%, contra 42,5% do adversário. Em meio às expectativas de vitória, a favorita do campo governista preparou uma reunião em um hotel de Manhattan para aguardar os resultados finais. Mais cedo, ela e o ex-presidente Bill Clinton votaram na escola primária Douglas A. Grafflin, na cidade de Chappaqua. Foi lá que o casal passou a viver depois de Clinton deixar a Casa Branca, em 2001. Diante do batalhão de repórteres que os acompanharam ao posto de votação, a candidata mostrou conhecer a comunidade local e cumprimentou vizinhos como se fossem velhos amigos.

Segundo o Times, um grupo de pessoas gritava o nome da presidenciável e segurava cartazes do lado de fora da escola, em demonstração de apoio. “Eu amo Nova York e tem sido um prazer estar aqui pelas últimas duas semanas. Espero que todos saiam para votar”, declarou a ex-secretária de Estado e ex-senadora pelo estado.

Estratégia
De olho em possíveis fragilidades que as primárias nova-iorquinas pudessem expor na trajetória da líder, o conselheiro de campanha de Sanders, Jeff Weaver,  considerou ao jornal The Hill que a concorrente deveria vencer por uma margem de dois dígitos, para que a performance não fosse considerada um fiasco. “Eles a elegeram senadora duas vezes (em 200 e em 2006). Sanders venceu em Vermont com 86% dos votos”, lembrou. “Se ela sair com apenas um digito de vantagem, meu Deus, será um embaraço.”

Mesmo antes do fechamento das urnas, o desafiante da ex-secretária de Estado dirigiu os esforços para o palco de uma das próximas batalhas eleitorais. Sanders — que nasceu no bairro nova-iorquino do Brooklyn, mas fez carreira política no estado vizinho de Vermont — deu entrevistas de manhã e caminhou pela região da Times Square, em Manhattan.

Em seguida, viajou para a Pensilvânia, onde fez dois comícios e acompanhou a apuração. À medida que a corrida pela nomeação democrata se aproxima do fim, o senador tem intensificado os ataques a Hillary. Sanders voltou a criticar a concorrente pelos vínculos com grandes fortunas e pelas posições sobre política para comércio internacional.

De olho no voto dos trabalhadores industriais da Pensilvânia, a equipe do senador tem ressaltado as demissões e as transferências de vagas para estados cujas leis trabalhistas permitem cortes de salários. “Vocês sabem o quê? Acho que vamos vencer aqui na Pensilvânia”, declarou Sanders, diante dos eleitores. O discurso do senador, que se intitula “socialista”, se mostrou eficaz em estados do meio-oeste com perfil semelhante, regiões onde a crise econômica ainda se faz sentir.

Neto Lira – Latino News Brasil

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar