Extorsão e estelionato: servidores da Prefeitura de Olinda são presos em operação da Polícia Civil

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

POLICIAL

Postado em 18 de abril de 2016

G1

A polícia investiga um esquema de extorsão e estelionato envolvendo servidores da Prefeitura de Olinda. Na manhã desta segunda-feira (18), foi deflagrada uma operação, que resultou na prisão de um diretor da Secretaria de Planejamento e Obras, além de outro servidor do executivo municipal. Segundo a Polícia Civil, foram cumpridos cinco de seis mandados de prisão preventiva.

De acordo com o diretor Integrado Metropolitano, delegado Joselito Amaral, um grupo, composto por dois servidores municipais e outras quatro pessoas, é supeito de extorquir dinheiro de comerciantes durante o carnaval. “Passada a folia, a Prefeitura de Olinda nos procurou denunciando que essa associação estaria fazendo cobranças indevidas aos ambulantes, apreendendo mercadorias. Essas pessoas, que não são nem funcionárias da prefeitura, agiam como fiscais e extorquiam os comerciantes”,  aponta Amaral.

Segundo o delegado, a prefeitura cobra, antes do carnaval, uma taxa de licenciamento, não durante a folia. A operação visa ainda cumprir seis mandados de busca e apreensão, sendo um na própria secretaria do município. “Estamos buscando alvarás, licenças e documentos que foram expedidos durante as festividades e autorizavam ou não os comerciantes. Às vezes, o ambulante tinha licença para vender comida e não bebida, por exemplo, e eles extorquiam dessa forma”, detalha o delegado.

Cinco pessoas, dentre eles os servidores, já foram presas e encaminhadas para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife. Uma pessoa ainda não foi localizada. De acordo com o delegado, os envolvidos respondem pelo crime de estelionato, peculato, usurpação da função – no caso dos que não são funcionários e atuavam como fiscais – e concussão, quando o servidor que pratica o crime.

O número de comerciantes lesados no esquema ainda não foi divulgado. O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Olinda, que informou “que vai se colocar à disposição das autoridades e aguarda resultados da investigação para as providências administrativas que sejam necessárias”.

Neto Lira – Latino News Brasil

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar