Tipos de sarna em filhotes: causas e sintomas

Tipos de sarna em filhotes: causas e sintomas

45
Compartilhar

Tocando de Primeira

A sarna engloba todas as doenças causadas por ácaros que se alimentam da pele. Em geral, essa doença é altamente contagiosa e causa prurido muito intenso nos doentes.

Tipos de sarna

Existem diferentes classificações de sarna, de acordo com o causador dela. Os tipos de sarna são brevemente descritos abaixo:

Sarna otodécica

Tocando de Primeira

Frequentemente chamada de sarna de ouvido. Esse tipo de sarna é vista mais em gatos do que em cães. Quando encontrada em cães, geralmente vêm de lugares como canis ou lojas com pouca higiene.

Sarna sarcóptica

Essa doença é caracterizada principalmente por ser uma das que produz mais coceira. O ácaro responsável pertence ao gênero Sarcoptes. Embora possa afetar todas as espécies de mamíferos, é encontrada com mais frequência em cães.

Queiletielose

O responsável é um parasita pertencente à espécie Cheyletiella yasguri. Esse ácaro microscópico tem uma cor avermelhada característica e pode ser facilmente espalhado entre cães e gatos. A vantagem é que o tratamento é simples e, normalmente, o causador é eliminado sem grandes complicações.

Sarna demodécica ou Sarna Negra

O ácaro responsável é um habitante comum da pele dos cães, embora também possa ser encontrado na dos gatos. A forma de transmissão é muito específica e será discutida a seguir.

A Sarna demodécica: responsável

Essa doença é causada por ácaros pertencentes ao gênero Demodex e, como já mencionamos, foram observados casos de sarna demodécica tanto em cães quanto em gatos.

É contagiosa?

Essa doença não é considerada contagiosa. É uma doença autolimitante presente em filhotes. Uma vez que o filhote cresce, ele desenvolve imunidade a ácaros e deixa de manifestar os sintomas da sarna.

Além disso, é raro que os ácaros possam se espalhar para outros animais domésticos, desde que o animal não seja imunodeficiente. Essa sarna também não afetará os seres humanos, enquanto outros tipos de sarna afetam, como a sarna sarcóptica.

Causas

A via de transmissão é muito particular. As mães transmitem esse ácaro microscópico aos filhotes após o parto. Especificamente, durante o período de lactação.

Esse ácaro normalmente está localizado na pele de cães e geralmente não causa problemas. No entanto, a doença ocorre quando o ácaro começa a se multiplicar incontrolavelmente.

O aumento do número de ácaros causa a destruição das raízes capilares dos cães. Da mesma forma, causa um forte prurido ou coceira.

A sarna tende a se manifestar em filhotes com menos de 18 meses. No entanto, também é observada em cães adultos, pois eles geralmente têm um sistema imunológico enfraquecido.

Sintomas

Essa doença é geralmente caracterizada por coceira intensa. No entanto, nesse tipo de sarna, pode ou não haver prurido.

Normalmente, as lesões começam em áreas de pelos finos, como na região dos olhos ou da boca. Por outro lado, também é possível perder partes de pelo nos membros ou no tronco.

A doença pode ser localizada ou generalizada. Se for generalizada, os animais perdem partes de pelo de tamanho considerável em diferentes áreas do corpo.

Outros sintomas destacáveis ​​são a pele avermelhada e escamosa nas regiões sem pelos ou o mau cheiro que elas exalam. Por outro lado, o desenvolvimento de infecções secundárias causa dor, enquanto a descamação e o aparecimento de partes sem pelos são observados à medida que a doença progride progressivamente.

Tratamento

Quando o veterinário realiza os testes adequados, como a busca por ácaros, o diagnóstico é confirmado. Posteriormente, será prescrito o medicamento mais apropriado para cada caso.

Dependendo se a extensão da doença foi localizada ou generalizada, diferentes ações serão tomadas:

Sarna localizada

Nessa circunstância, o problema se resolve sozinho dentro de algumas semanas ou meses. O filhote desenvolve resistência contra o ácaro e os sintomas clínicos desaparecem. Portanto, não requer tratamento.

Sarna generalizada

Por outro lado, se a sarna for generalizada, é necessário agir de maneira diferente. O tratamento poderá variar de acordo com o tipo de medicamento prescrito pelo veterinário.

Os medicamentos podem ser administrados diretamente na pele ou por via oral. No primeiro passo, pode ser prescrito na forma de uma pomada.

O veterinário será responsável por decidir o tipo de tratamento. Apesar disso, deve-se mencionar que essa terapia envolve um tratamento de vários meses. É um processo longo, porque, quando não há mais ácaros na pele, o tratamento continua por mais um mês, de forma preventiva.

Conclusão

A doença não é contagiosa. Os principais afetados por essa doença são os filhotes de cachorro, mas essa condição também é observada em gatos.

Fonte: Meus animais

Tocando de Primeira