Animais são vítimas de maus tratos e mortos na UFRPE

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

VIOLÊNCIA

Postado em 23 de dezembro de 2015

Em entrevista ao Latino News, alunos e professores da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) relataram casos de violência contra animais abandonados no Campi, situado no Bairro de Dois Irmãos, Região Metropolitana do Recife.

Segundo os alunos do curso de Medicina Veterinária, casos de violência contra animais são muito comuns na Universidade, como o que aconteceu na última terça-feira (22), onde 3 gatos foram mortos à pedradas.

Imagem: Latino News Brasil
Imagem: Latino News Brasil

Após serem mortos, os corpos dos animais foram largados na porta da sala de uma professora que há anos vem lutando em defesa das centenas de animais que vivem em situação de abandono espalhados pela Universidade. Os alunos ainda informaram, que a professora dedica todo o seu tempo livre, inclusive domingos e feriados para cuidar dos animais abandonados, dando ração, medicamentos e fazendo castrações, tudo custeado com recursos próprios.

“As pessoas têm a falsa ideia de que jogando animais no hospital veterinário, os mesmos serão adotados. É verdade que alguns alunos e professores tentam contribuir de alguma forma, mas o volume de animais é muito grande e vem crescendo a cada dia.” Comentam.

Em um outro episódio, ocorrido no ano passado, foram mortos mais de 10 animais em uma noite, incluindo cães e gatos.

Os entrevistados fizeram um alerta para a população para não abandonarem animais na Universidade, pois muitos são mortos de forma brutal, orientam ainda para as pessoas que pretendem criar animais domésticos a não utilizarem anticoncepcionais em felinos e caninos, como forma de prevenção contra gestações indesejáveis, pois os mesmos podem trazer sérios danos a saúde dos pequenos, finalizam com a afirmação de que a melhor forma de controle ainda é através das castrações.

As pessoas envolvidas nas mortes dos animais ainda não foram identificadas. A Universidade se mostrou disposta a averiguar o caso e tentar junto com a comunidade acadêmica criar soluções para o problema abordado.

Júnior Trindade – Latino News Brasil

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar