Rodrigo Fernandes, irmão do ex-goleiro Bruno, revela pacto com o Comando Vermelho

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

NOTÍCIA

Postado em 05 de julho de 2016

UOL

O irmão do ex-goleiro Bruno, Rodrigo Fernandes, afirmou em entrevista à TV Meio Norte, do Piauí, que existe um “pacto entre várias pessoas” para não dar detalhes sobre o desaparecimento de Eliza Samudio, ex-amante do jogador. Mas na fala afirmou que a facção criminosa Comando Vermelho, do Rio, está envolvida no crime.

“Não pode mais se negar. Está até nos autos, com as pessoas envolvidas. Está classificado pela própria delegacia de Jacarepaguá”, disse, citando que, por medo de ser morto quando voltar à rua, não iria dar mais detalhes sobre o assunto.

Rodrigo disse ainda que o grupo PCM (Primeiro Comando do Maranhão) também estaria envolvido no crime. Segundo a investigação, o irmão de Bruno seria integrante desse grupo. “Sobre isso não posso falar”, afirmou.

O PCM é um dos grupos que tomam conta dos presídios do Estado e foi responsável, com a facção “Bonde dos 40”, pelas 60 mortes no Complexo Prisional de Pedrinhas, no Maranhão, em 2013.

O irmão de Bruno deu a entender que sabe o local onde estão os restos mortais da ex-amante, mas disse que não iria contar. “Esse assunto interessa à Justiça. Eu não vou pegar as cartas da manga da camisa e jogar na mesa. É o seguinte: a Justiça trabalha com informações…”

À Polícia Civil do Piauí, Rodrigo teria contado onde estariam os restos mortais de Eliza, mas o delegado não deu mais informações.

Rodrigo disse que o silêncio é por medo de pessoas envolvidas no crime e citou a existência de um pacto “com Bruno e outras pessoas” para não revelar como tudo aconteceu. “É o seguinte: Existem dois grupos fortes [envolvidos no crime], PCM e CV. Amanhã eu tô na rua, quem vai me dar proteção? O Estado do Piauí? Se hoje abrir a boca tudo a respeito desse fato, amanhã… estou começando a falar a parte em que estou citado”, explicou.

Hoje, segundo ele, existem dois mandados de prisão que o mantêm detido no Centro de Detenção Provisória de Altos, no interior do Piauí. Rodrigo é suspeito de estupros e foi preso em setembro de 2015.

Por que resolveu falar agora?

O irmão do ex-goleiro contou por que foi chamado a depor, “há duas semanas”, no processo em que se investiga o desparecimento da modelo. “Encontraram três fotografias minhas na investigação, uma no sítio [de Bruno], no dia da festa em que Eliza estava, com vários jogadores do Flamengo, em Belo Horizonte. Acharam outra no dia em que foram buscar ela em São Paulo. A outra foi em um carro desse Estado [do Piauí], uma Hilux, e outra com placa no maranhão, no último dia em que ela saiu no sítio do goleiro Bruno”, diz.

O sítio fica localizado em Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte. Na festa citada, Bruno e Eliza teriam tido relações sexuais. O local teria se transformado no cativeiro de Eliza após o seu sequestro.

Perguntado, Rodrigo não negou nem confirmou que as fotos são autênticas: “Tem que comprovar se ela [a foto] é realmente minha. Isso cabe ao investigador, dizer se é montagem ou não”.

Ele disse que “já deu outras entrevistas” e que esta nova conversa se dava também por livre e espontânea vontade.

Neto Lira – Latino News Brasil

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar