Macarrão passa a cumprir pena por morte de Eliza Samudio no regime semiaberto

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

JUSTIÇA

Postado em 31 de maio de 2016

Do Estado de Minas

O amigo do goleiro Bruno Fernandes, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, um dos principais envolvidos no desaparecimento e morte de Eliza Samudio, conseguiu a progressão de pena para o regime semiaberto. O juiz Ronan de Oliveira Rocha, atuando em substituição na Vara de Execuções Criminais de Contagem, concedeu o benefício em 24 de maio, mas a decisão só foi divulgada nesta terça-feira. Macarrão foi condenado a 15 anos de prisão pela morte da ex-namorada de Bruno. A progressão vale a partir desta quarta-feira.

Para ter o direito ao semiaberto, Marcarrão terá que ser transferido da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, pois o local não aceita este tipo de regime. O novo local será escolhido pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). O órgão informou que ainda não foi notificada sobre o pedido da transferência. Sobre deixar a prisão durante o dia e retornar a noite, Luiz Romão terá que apresentar uma carta de trabalho sobre o serviço que for contratado externamente.

A defesa já tinha requerido o benefício, em março, pois o réu tinha requisitos objetivos para ter direito ao semiaberto. Porém, dependia de um laudo com análises subjetivas de uma junta formada por psiquiatra, psicólogo e assistentes social e de segurança. Macarrão obteve a remição de 425 dias da pena após trabalhar 1134 dias e concluir 570 horas de estudo entre outubro de 2011 e setembro de 2015. Além do semiaberto, Macarrão conseguiu o direito de de saídas temporárias e de trabalhar fora do presídio.

Sobre o semiaberto, o juiz Ronan de Oliveira Rocha afirmou que o preso cumpriu “o tempo mínimo de pena exigido para a progressão de regime, ou seja, cumpriu 2/5 da pena que lhe foi imposta em razão de cometimento de crime hediondo (o que corresponde a 4 anos, 9 meses e 18 dias) e 1/6 da pena comum (6 meses) desde a data-base estipulada (09/09/2011), haja vista a remição de 425 dias de pena pelo trabalho”.

Destacou, ainda, o bom comportamento de Macarrão dentro da cadeia. “O documento de fls. 441 atesta a inexistência de falta disciplinar de natureza grave cometida pelo condenado nos últimos três anos. A seu turno, o relatório do Programa Individualizado de Ressocialização (PIR) de fls. 453/453v. registra ausência de faltas disciplinares e de tentativas de fuga; boa higiene pessoal e da cela; bom relacionamento com outros presos e agentes penitenciários; ausência de vínculo com facção criminosa no interior da Penitenciária; postura tranquila e cooperativa nos atendimentos; orientação espaço-temporal; humor estável; preservação de vínculos afetivos; ciência dos delitos cometidos e arrependimento”, disse.

Luiz Romão ganhou o benefício de sair da prisão durante 35 dias no ano, com prazo não superior a sete dias a cada saída, com prazo mínimo de 45 dias de intervalo entre uma e outra. Para isso, terá que fornecer endereço onde reside a família a ser visitada ou onde poderá ser encontrado.

Júnior Trindade – Latino News Brasil

logo face latino

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar