Juiz é investigado por usar carro apreendido de Eike Batista

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

Eike BatistaA corregedoria do Tribunal Regional Federal da Segunda Região, no Rio de Janeiro, abriu nesta terça-feira (24) um processo para investigar a conduta do juiz federal Flávio Roberto de Souza.

O processo foi aberto por decisão do desembargador federal José Antônio Lisbôa Neiva.

O juiz, que cuida do processo de Eike Batista por crimes contra o mercado financeiro, foi acusado de usar um dos carros do empresário apreendidos pela Justiça. A denúncia foi feita pelo advogado de Eike, Sérgio Bermudes.

Bens apreendidos

No dia 6 de fevereiro, a Polícia Federal apreendeu diversos bens do empresário, sua mulher, seus filhos e sua ex-mulher, Luma de Oliveira. Dentre eles, havia um Porsche Cayenne.

A apreensão visava garantir os R$ 3 bilhões do empresário que a Justiça mandou bloquear.

Os bens começariam a ser leiloados nesta quinta-feira (26), mas o leilão foi adiado.

Pedido de afastamento

Eike está sendo julgado por crimes contra o mercado financeiro. Ele é acusado de manipulação do mercado e uso de informação privilegiada ao negociar ações da sua petroleira, a OGX (hoje OGPar), o que teria causado prejuízo a investidores.

O julgamento teve sua primeira audiência em novembro de 2014 e ainda não há data para sua retomada.

Os advogados de Eike questionam a imparcialidade do juiz e pediram que ele seja retirado do caso. Para eles, Souza se manifestou publicamente contra Eike na época da audiência, ao dizer que o empresário era “megalomaníaco” e o julgamento era “histórico”.

Dois de três embargadores votaram a favor do afastamento, mas o terceiro pediu vistas do processo, fazendo com que a decisão seja adiada.

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar