Quatro negócios para investir com menos de R$10 mil

Quatro negócios para investir com menos de R$10 mil

58
Compartilhar

Tocando de Primeira

Falta menos de três meses para o ano acabar e já tem muito empreendedor pensando em negócios para investir em 2020. Mas o baixo orçamento pode ser um grande impedimento.

Com base em dados do SEBRAE, em pesquisas sobre pequenas empresas e em novos perfis de empreendedores, a Driver Machine reuniu cinco negócios para investir com menos de R$10 mil.

Tocando de Primeira

Então, vale conferir a lista e ver o que mais se encaixa com o perfil de investimento, com o desejo de contribuir positivamente para a economia e para o mundo e, é claro, com o orçamento.

1- Agência de viagem

De acordo com o levantamento da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), o mercado brasileiro de agenciamento de viagens e turismo movimenta anualmente 47,5 bilhões de reais.

Além disso, o estudo Panorama de agências de viagens e operadores turísticos no Brasil, da Organização Mundial do Turismo, levantou dados importantes que reforçam o crescimento do setor.

10% do PIB mundial é gerado pelo turismo. No Brasil, o setor é responsável por 8% do PIB nacional. Na prática, isso quer dizer que o mercado de viagens gera empregos e movimenta muito dinheiro.

E a diversidade dentro do setor é enorme. Em cidades turísticas, pode-se elaborar excursões apenas dentro dela. Se não, pode trabalhar com viagens pelo estado. E assim por diante.

Além disso, se não quiser entrar no mercado como um desconhecido e ter que construir sua marca do zero, pode-se investir em franquias. Franquias de consultorias turísticas e agências de viagens como a TZ Viagens e Trust custam menos de R$5 mil.

2- Maquiagem

Outro negócio promissor para quem tem um orçamento baixo é o de maquiagem. Podendo atender em domicílio, o investimento inicial seria destinado a cursos de especialização – caso já não tenha – e maior diversidade de produtos.

Segundo o relatório Colour Cosmetics – Latin America, a previsão de faturamento de setor de maquiagem e esmaltes no Brasil é de 7,68 bilhões de reais.

E os bons números não param por aí. De acordo com o IBGE, o brasileiro, atualmente, gasta mais com beleza do que com alimentação. Além disso, quando se fala em mercado de beleza mundial, o top 3 é formado por Japão, Estados Unidos e Brasil, respectivamente.

No mais, a comodidade e flexibilidade são cada vez mais valorizadas. Nesse cenário, atender a domicílio é mais prático e barato do que abrir um salão ou estúdio.

3- Alimentação

De acordo com levantamento da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), o mercado de alimentação saudável vem crescendo cerca de 12,3% ao ano.

A pesquisa mostrou, ainda, que 80% dos brasileiros estão em busca de uma alimentação melhor e que 71% deles não se importam em pagar mais caro por esses produtos.

Já a Euromonitor International, empresa de pesquisa de mercado, monitorou que o mercado de alimentação saudável movimentou, só no Brasil, R$92,5 bilhões em 2017. Além disso, entre 2009 e 2014 o setor cresceu 98% no país.

Assim, é um ótimo mercado para ser explorado. Além dos números positivos, duas outras vantagens se destacam.

A primeira é a variedade de nicho. Assim, pode-se investir em alimentação vegetariana, vegana, fitness, orgânica, sem glúten, etc.

A segunda é a praticidade. No começo, uma grande cozinha industrial para produção em massa não é necessária. O ideal é começar até mesmo em casa e aumentar com o tempo. Separe o orçamento inicial para criação de logo, embalagens e marketing.

4- Mobilidade urbana

O aplicativo de transporte mais usado pelos brasileiros não está presente nem em 5% das cidades brasileiras, por exemplo. Sabendo que 95% das cidades do Brasil não tem esse serviço, surge aí um enorme mercado para empreender.

Assim, para criar seu próprio app e empreender nessas cidades, existem 2 opções. A primeira é contratar um desenvolvedor.

Segundo os desenvolvedores de aplicativos da Tech Magic, republicado pela Use Mobile, criar um aplicativo de transporte leva em média 5.000 horas de trabalho. Além disso, a Use Mobile conta que um desenvolvedor de apps cobra de 20 a 150 dólares por hora de trabalho.

Vamos usar como exemplo o desenvolvedor mais barato. Dessa forma, o custo da produção do seu aplicativo seria de 200 mil dólares!

A outra opção é contratar a Driver Machine. Uma vantagem inicial que a Driver Machine oferece é o suporte técnico e a manutenção. Assim, após desenvolver o aplicativo, ela mantém contato com os gestores e cuida das atualizações do sistema.

Outro ponto positivo é em relação ao tempo de entrega. Enquanto a entrega de um app de transporte feito por uma desenvolvedora leva três meses, a Driver Machine entrega em até sete dias úteis.

E a maior vantagem: a taxa de adesão é de apenas R$2.499! No Plano Básico, onde 20 motoristas são cadastrados, o empreendedor paga menos de 3 mil reais. Assim, os outros 7 mil restantes precisam ser destinados para o marketing do seu aplicativo.

Driver Machine entrega um app para o motorista, outro para o passageiro e uma plataforma administrativa online. Além de oferecer suporte técnico e manutenção. Assim, após desenvolver o aplicativo, ela mantém contato com os gestores e cuida das atualizações do sistema.

Fonte: Exame

Tocando de Primeira