Biden proíbe importação de petróleo russo nos EUA

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Joe Biden

O presidente dos EUA, Joe Biden, proibiu nesta 3ª feira (8.mar.2022) a importação do petróleo da Rússia. “Não vamos mais aceitar o petróleo russo nos portos norte-americanos. Nós não vamos mais subsidiar as importações de Putin”, afirmou.

Segundo o presidente, a decisão se deu depois de conversas com países aliados, em especial na Europa. “Uma resposta unida tem sido foco acima de tudo para manter juntos todos os parceiros da Otan e nossos aliados na União Europeia”, disse.

Biden afirmou ainda que está trabalhando com outros países para reduzir a dependência deles na energia da Rússia. “Eu sei que muitos dos nossos parceiros talvez não possam estar junto conosco. […]  Nossas equipes estão discutindo como podemos fazer isso [reduzir a dependência].

A medida procura pressionar o presidente da Rússia, Vladimir Putin, a encerrar os ataques contra a Ucrânia. Esta 3ª feira (8.mar) marca o 13º dia do conflito.

Além dos EUA, o Reino Unido deve interromper a importação. A UE (União Europeia) também avalia a possibilidade. A comissão do bloco lançou nesta 3ª feira (8.mar) um plano para ser independente dos combustíveis fosseis da Rússia até 2030. Querem também acelerar a transição para a energia renovável.

PREÇOS

Nesta 3ª feira (8.mar), o custo médio de um galão de gasolina nos EUA atingiu US$ 4,11 (por mais de R$ 20,78). Em algumas partes do país, os preços ultrapassaram US$ 5 o galão (aproximadamente R$ 25,28).

Os valores representam um aumento recorde. Dados são da AAA (American Automobile Association).

O barril Brent, petróleo de referência internacional, superou US$ 130. Esse é o maior valor para a commodity desde julho de 2008.

RESPOSTA DA RÚSSIA

A Rússia ameaçou cortar o fornecimento de gás natural para a Europa caso haja bloqueios na importação do petróleo russo. Afirmou que vai fechar o principal gasoduto, o Nord Stream 1.

Em pronunciamento na 2ª feira (7.mar.2022), o vice premiê do país, Alexander Novak, disse que a rejeição ao combustível “vai levar a consequências catastróficas para o mercado global”.

“Em conexão com as acusações infundadas contra a Rússia […] e a imposição da proibição do Nord Stream 2, temos todo o direito de tomar uma decisão espelhada e impor um embargo ao bombeamento de gás através do gasoduto Nord Stream 1, que hoje é carregado no nível máximo de 100%”, afirmou.

Novak também disse que, com a medida, “a subida dos preços será imprevisível. Será US$ 300 por barril, se não mais”.

Fonte: Poder360

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar