“Time de Marcelo”, do Real Madrid, Azuriz é um dos interessados em SAF do Santa Cruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
2020 santa cruz estadio arruda 1200 x 600

A aprovação da constituição da SAF do Santa Cruz em Assembleia Geral oficializou o que se tornaria realidade iminente: o despertar do mercado. E o cenário atual é este: embora o presidente Antônio Luiz Neto, junto à diretoria, ainda estudem possíveis modelos a serem implementados, algumas empresas já bateram à porta, interessadas em constituir a Sociedade Anônima de Futebol no Tricolor.

Como é o caso do Azuriz, por exemplo, cujo time tem o lateral-esquerdo Marcelo como um dos investidores. O clube paranaense, segundo apurou o ge, é quem mais mantém contato com o Santa Cruz. E muito além de reuniões virtuais, vale mencionar. Não houve, entretanto, até agora, propostas com valores na mesa.

Entenda o modelo de SAF que pode ser adotado pelo Santa Cruz

Mesmo assim, representantes do Azuriz já conheceram as dependências do Santa Cruz. No mês de março, eles viajaram até Recife para conhecer o estádio do Arruda e o Centro de Treinamento Ninho das Cobras. Assistiram, no dia 16, o Clássico das Emoções diante do Náutico, ainda pela primeira fase do Campeonato Pernambucano. O duelo aconteceu no Arruda, mas de portões fechados.

  • Ganhos, riscos e perfil de investidor: Rodrigo Capelo analisa possível adesão do Santa à SAF

Recém-chegado no futebol brasileiro, o time do Sudoeste do Paraná é um clube-empresa que atualmente disputa a Série D – mesma divisão do Santa Cruz. É o vice-líder do seu grupo no Brasileiro.

Mas, o clube de futebol é amparado por uma rede de cifras milionárias: além de um fundo de investimento, o Azuriz Jay, do qual Marcelo, craque do Real Madrid, é um dos donos, existe uma holding – empresa que detém outras empresas – injetando dinheiro por trás.

E não para por aí.

A reportagem também obteve acesso a outro nome interessado na SAF do Santa Cruz: a Jive. A empresa comprou a massa falida do Lehmon Brothers, famoso banco americano que quebrou nos Estados Unidos com a crise imobiliária de 2008.

Hoje, a Jive se tornou pioneira no investimento em ativos chamadas distressed – isto é, ativos depreciados, em crise -, sendo um dos players de mercado em estruturação, execução e empréstimo de créditos.

Estádio do Arruda, do Santa Cruz — Foto: Reprodução

Estádio do Arruda, do Santa Cruz — Foto: Reprodução

Já no fim da gestão de Joaquim Bezerra, que renunciou ao cargo em março deste ano, a empresa, com o apoio da XP, intermediadora das aquisições da SAF do Cruzeiro e do Botafogo, apresentou-se à diretoria para modular uma proposta de compra do futebol coral, mas não se chegou a valores.

Fonte: GE

Gostou! Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

TOP RELACIONADOS

Você também pode gostar