Dia do Leitor: veja dicas de leituras para as férias

Dia do Leitor: veja dicas de leituras para as férias

50
Compartilhar

Tocando de Primeira

O Dia do Leitor, comemorado nesta terça-feira (7), foi criado em homenagem à fundação do jornal cearense ‘O Povo’, criado em 7 de janeiro de 1928 pelo jornalista Demócrito Rocha. O periódico ficou conhecido no cenário nacional como um veículo de combate à corrupção, especialmente pela divulgação de fatos políticos. Além disso, ‘O Povo’ foi um importante propagador dos ideais do movimento modernista literário cearense. Para celebrar a data, nada melhor do que ler, não é mesmo?! Com as férias e um tempinho livre, fica mais fácil se dedicar à leitura e às viagens que os livros proporcionam.

Abaixo, estão reunidas oito dicas de leituras com títulos de gêneros variados. Com certeza você vai encontrar algum que combina com o seu estilo!

Tocando de Primeira

Sobre os ossos dos mortos – Olga Tokarczuk

Ganhadora do prêmio Nobel em 2018, a aclamada autora Olga Tokarczuk consegue reunir terror e humor em ‘Sobre os ossos dos mortos’. A obra conta a história da protagonista Janaina Deszejko, uma idosa que é apaixonada por animais. O drama começa quando dois cachorros de Janaina somem e, além disso, duas pessoas aparecem mortas no vilarejo.

“Já atingi uma idade e, além disso, um estado em que, antes de me deitar, devia lavar muito bem os pés, no caso de uma ambulância ter de me levar durante a noite.” – Olga Tokarczuk

1984 – George Orwell

Romance distópico do aclamado autor inglês George Orwell, ‘1984’ é um livro que denuncia as mazelas de um regime totalitário. A história se tornou uma das mais influentes do século XX e promove reflexões sobre pontos atuais, como vigilância.

“Se há esperança, escreveu Winston, está nos proletas.” – George Orwell

O assassinato de Roger Ackroyd – Agatha Christie

Publicado em 1926, o romance policial ‘O assassinato de Roger Ackroyd’, de Agatha Christie, mostra o detetive Hercule Poirot na investigação do homicídio de um homem rico e influente. Aclamada como uma das obras-primas da autora, o livro possui narrativa envolvente e misteriosa, que prende a atenção do leitor do começo ao fim da história.

“É singular que, quando temos uma crença secreta que não desejamos comunicar a ninguém, o ouvi-la expressar por uma outra pessoa nos leve a contradizê-la furiosamente.” – Agatha Christie

A hora da estrela – Clarice Lispector

Último romance de Clarice Lispector, ‘A hora da estrela’ conta a história de Macabéa, uma jovem nordestina que se muda para o Rio de Janeiro. Com um enredo envolvente e questões introspectivas, a autora descreve na narrativa sentimentos e sonhos comuns a uma simples jovem, o que causa empatia nos leitores.

“Quem já não se perguntou: sou um monstro ou isto é ser uma pessoa?” – Clarice Lispector

Toda poesia – Paulo Leminski

‘Toda Poesia’, de Paulo Leminski, reúne grande parte da produção do poeta curitibano em um único livro. Com fortes traços de humor e descontração, a lírica de Leminski aborda temas variados, como amor, política e tempo.

“não discuto
com o destino
o que pintar
eu assino”
 – Paulo Leminski

Ensaio sobre a cegueira – José Saramago

Considerado por muitos leitores uma obra ‘pesada’, ‘Ensaio sobre a cegueira’, publicado em 1955 pelo escritor português José Saramago, conta a história da epidemia de cegueira branca que se alastra por um território. O enredo conta em detalhes o colapso causado pela cegueira, bem como as transformações nas estruturas sociais.

“A pior cegueira é a mental, que faz com que não reconheçamos o que temos pela frente.” – José Saramago

A graça da coisa – Martha Medeiros

Para a escritora brasileira Martha Medeiros, a grande questão da vida é se desapegar daquilo que é desnecessário, daquilo que faz mal e não acrescenta. Na obra ‘A graça da coisa’, Martha mostra, por meio de crônicas leves e divertidas, como deixar ir o que não quer ficar é sempre a melhor opção.

“Assim como antes era mais fácil fazer compras, também era mais fácil viver.” – Martha Medeiros

O conto da aia – Margaret Atwood

Escrito em 1985 pela canadense Margaret Atwood, ‘O conto da aia’ se tornou um dos livros mais comentados no mundo nos últimos meses. Inspiração da série homônima ‘The Handmaid’s Tale’, o romance futurista mostra um regime autoritário em que mulheres são vítimas de uma pesada opressão por parte do governo.

“A vida na lua pode não estar na superfície, e sim dentro dela.” – Margaret Atwood

Fonte: Bonde

Tocando de Primeira