O que fazer com a moeda estrangeira que sobra da viagem?

O que fazer com a moeda estrangeira que sobra da viagem?

307
Compartilhar

Ao comprar moedas estrangeiras para fazer uma viagem, é sempre importante calcular o valor médio que será gasto e levar um pouco a mais, para emergências. Porém, muitas vezes, nem todo o dinheiro investido é gasto e, quando o viajante retorna ao Brasil com moedas diferentes do real, surge a dúvida do que fazer com essas moedas. Vale a pena guardar para uma próxima viagem? Como posso trocá-las por real? Existe alguma restrição? Veja algumas alternativas do que fazer com o dinheiro que não usou na viagem!

Guardar

Ficar com o dinheiro que sobrou, é uma opção, pois pode ser utilizado em próxima viagem que tenha a mesma moeda. No entanto, deve-se lembrar que, dependendo da moeda que trouxer, esta escolha pode ser arriscada, pois muitos países possuem uma economia instável, o que pode fazê-la desvalorizar a qualquer momento.

Também é interessante ressaltar que alguns países eventualmente atualizam suas cédulas, tornando as antigas mais difíceis de serem aceitas. Assim, se uma moeda ficar guardada por muito tempo, pode acontecer de só conseguir trocá-la em um banco do país emissor desta.

Cartão de viagem pré-pago

Quem leva cartão de viagem pré-pago na sua viagem, em caso de saldo nele ainda na volta ao Brasil, este valor pode ser revendido para a instituição de câmbio onde adquiriu o cartão. Caso prefira, pode também manter o valor no cartão, pois não há preocupação com desatualização de cédulas e em caso de perda, roubo, furto ou extravio, basta solicitar o bloqueio do cartão. Importante só ficar atento à data de validade do cartão e eventuais taxas de inatividade.

Free Shop

Os Free Shops dos aeroportos oferecem uma diversidade de mercadorias com redução e até isenção de impostos, e pode ser uma boa alternativa para utilizar o restante do valor de moeda estrangeira que comprou. São diversas linhas de produtos que oferecem. Perfumes, bebidas e óculos de sol, normalmente são itens com preço atrativo. Só é preciso atentar ao limite de cota de compra nos Free Shops de chegada ao Brasil, pois não pode-se comprar mais do que esta ou até mais do que a quantidade permitida de cada item.

Vender para outras pessoas

Muitas pessoas, quando voltam para o Brasil, tentam vender o dólar para outros. Esta opção de venda é conhecida como ‘câmbio paralelo’ e é considerada ilegal, pois toda e qualquer operação deve seguir procedimentos legais e ser registrada no Banco Central, pelas instituições autorizadas.

Vender para as instituições de câmbio

Se a intenção não é gastar o dinheiro e nem guardá-lo, a melhor opção é vendê-lo à uma instituição de câmbio credenciada pelo Banco Central do Brasil.

Para a venda de sua moeda estrangeira à uma corretora de câmbio, a taxa a considerar será a de compra pela corretora no momento da transação, cujo valor geralmente é inferior ao de venda.

A MultiMoney Corretora de Câmbio é credenciada ao Banco Central do Brasil e, além da loja virtual, possui lojas físicas em vários Estados do Brasil. Além de vender, também compra diversos tipos de moedas. Uma equipe especializada fica disponível no chat do site para esclarecer dúvidas, fornecer qualquer orientação e até mesmo a compra ou venda de moeda.

Fonte: Massa news