Conheça o Brasil no Latino News: Paraty

Conheça o Brasil no Latino News: Paraty

228
Compartilhar

O Centro Histórico de Paraty remonta aos idos de 1820, quando suas ruas já possuiam seu calçamento “pé de moleque”. A presença das águas, com a invasão das marés na lua cheia, a cultura do café e da cana, o porto e seus piratas, a maçonaria determinaram o traçado do Centro Histórico de Paraty.

No Centro Histórico há construções do séculos 18 e 19, tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional. (Foto: Peixe Urbano)

As ruas foram todas traçadas do nascente para o poente e do norte para o sul. Todas as construções das moradias eram regulamentadas por lei, podendo pagar com multa ou prisão, quem desobedecesse as determinações. A maçonaria deixou sua forte marca nas fachadas dos sobrados com desenhos geométricos, em relevo.

O Centro Histórico, considerado pela UNESCO como “o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso” é Patrimônio Nacional tombado pelo IPHAN. Sua ruas, protegidas por correntes que impedem a passagem dos carros, preservam ainda o encanto colonial, aliado a um variado comércio e a expressões culturais e artísticas muito intensas. Os carros apenas podem circular pelas ruas que fazem limite com o Centro: Patitiba, Domingos G. de Abreu, Aurora e Rua Fresca. A maioria das ruas do Centro Histórico tem 2 nomes, fruto de decretos municipais conflitantes com o costume já instalado.

Sugestões de passeios

Caminhar pelo Centro Histórico, tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, é uma viagem de volta ao Brasil colonial. Passear calmamente por todas as ruazinhas, observar cada fachada com sua arquitetura colonial é uma delícia. “Quantas histórias encerrarão estas janelinhas…”
O Centro Histórico oferece muitas opções. Veja algumas dicas:

Visite a Casa da Cultura onde há sempre uma programação completa com exposições, shows, atividades para crianças, etc.

Museu de Arte Sacra de Paraty funciona na Igreja Santa Rita, cartão postal da Cidade. Visite as exposições.

Divirta-se com um show de rua ou fazendo a sua caricatura; entre em todas as lojas e leve um pouco da beleza de Paraty através de seu artesanato local.  Saboreie a excelente gastronomia paratiense em um dos bons restaurantes da cidade, e ainda curta uma música ao vivo da melhor qualidade.

Reserve uma das noites para assistir ao Teatro de Bonecos.

Paraty transformou-se em importante pólo cultural e artístico, concentrando no Centro um grande número de ateliers de artistas plásticos. Não deixe de conhecer as diferentes expressões artísticas que existem na cidade.

Informe-se sempre se está ocorrendo algum evento ou festa tradicional na cidade.
Além do Centro Histórico, Paraty oferece algumas opções de turismo cultural que só são encontradas aqui. Veja algumas dicas:
Alambiques de cachaça artesanal. A importância da cachaça paratiense no século XVIII foi tão grande que  nome da cidade virou sinônimo da bebida, como atesta a famosa música de Assis Valente Camisa Listrada, eternizada por Carmen Miranda (“Em vez de tomar chá com torrada ele bebeu parati”). Paraty já teve mais de 100 alambiques, mas hoje conta com 7 em funcionamento.
Praia do Sono – Paraty (Foto: blog a viagem)
Caminho do Ouro. A Estrada Real ou Caminho do Ouro em Paraty, construída pelos escravos, entre os séculos XVII e XIX, ligava Minas Gerais a Paraty, por onde descia o ouro dos portugueses. A visitação só é permitida com guias autorizados, pois atravessa propriedades particulares.
Parque Temático Mini Estrada Real. Na Estrada Paraty-Cunha, a 2km do trevo encontram-se belíssimas miniaturas dos principais monumentos das cidades históricas que fazem parte da Estrada Real. Uma visita guiada explica cada local e sua importância para a história do Brasil.
Fonte: guia viajar melhor