Ministério da Saúde apoia vacinação antirrábica na Bolívia

Ministério da Saúde apoia vacinação antirrábica na Bolívia

29
Compartilhar

Tocando de Primeira

Brasil enviou à Bolívia técnicos de vigilância em saúde, do Ministério da Saúde, para reforçar a relação internacional de cooperação humanitária e evitar casos de raiva canina e humana em áreas limítrofes com o território brasileiro. Nos dias 24 e 25 de agosto, o Ministério da Saúde brasileiro participa da campanha de vacinação antirrábica de cães nas cidades fronteiriças entre Brasil e Bolívia. A ação, realizada em conjunto com o Ministério da Saúde boliviano, visa vacinar cerca de 40 mil cães e gatos para evitar casos de raiva canina, felina e humana nessas áreas.

O Brasil apoiará a campanha com doação de vacinas antirrábicas caninas e disponibilizará vacinadores brasileiros. A ação contará, ainda, com dois técnicos, que atuam  no acompanhamento de ações de vigilância em saúde, do Ministério da Saúde, que irão acompanhar a execução da  campanha de vacinação. Também acompanhará a estratégia in loco a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Tocando de Primeira

A doação dos insumos ao país vizinho é uma  das medidas de segurança para para não permitir que casos da doença entrem no Brasil pelas áreas limítrofes e, além disso não compromete o abastecimento interno do país. Anualmente é realizada campanha de vacinação antirrábica no município de Corumbá,  mesmo quando os estoques de VARC estão escassos o município é tido como prioritário.

Em 2018, o Brasil também apoiou a mesma estratégia em território boliviano nos municípios limítrofes de Puerto Quijarro e Puerto Suarez, que fazem divisa com Corumbá/MS. A ação ocorreu por meio de Acordo Interinstitucional Internacional entre os Ministérios da Saúde dos dois países. Em 2019, a ação será novamente apoiada nas cidades bolivianas de Puerto Quijaro e Puerto Suarez, e estendida para San Matias, Guayamerín e Cobija.

A mais extensa fronteira brasileira é com a Bolívia. São mais de 3 mil km de distância que vão de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, até Assis Brasil, no Acre. O último caso de raiva humana por variante de cão no Brasil foi em 2015, no município de Corumbá/MS, e nesse mesmo ano, houve 71 casos de cães positivos com raiva. Desde então, foi aplicado plano de contingência em conjunto com o estado do Mato Grosso do Sul e município de Corumbá/MS, onde intensificou-se a vacinação de cães e gatos duas vezes ao ano.

VACINAÇÃO ANTIRRÁBICA E CONTROLE DA RAIVA NO BRASIL

A raiva é uma doença infecciosa aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, com letalidade de aproximadamente 100%. É transmitida principalmente por meio da mordida de animais infectados.

Com a intensificação das ações de vigilância e controle da raiva canina e felina nos últimos 30 anos, o Brasil alcançou significativa redução nas taxas de mortalidade por raiva humana, com o predomínio de casos em caráter esporádicos e acidentais. No período de 2010 a 2018, foram registrados 36 casos de raiva humana, sendo que em 2014, não houve casos, no país.

Fonte: Saúde.gov

Tocando de Primeira