Rodoviária de Brasília tem risco de desabamento e colapso estrutural

Rodoviária de Brasília tem risco de desabamento e colapso estrutural

47
Compartilhar

Tocando de Primeira

Um relatório divulgado pelo governo do Distrito Federal, nesta quinta-feira (27), aponta que a Rodoviária do Plano Piloto, em Brasília, apresenta “risco de desabamento e colapso estrutural”. O documento cita fissuras em vigas de sustentação e “grande deformação” na plataforma superior.

Para evitar riscos à população – “acidentes e mortes”, segundo o governador Ibaneis Rocha (MDB) – o local foi interditado na noite dessa quarta (26).

Tocando de Primeira

Desde então, os veículos estão proibidos de circular no sentido norte-sul, entre o Conjunto Nacional e o Conic. Já no sentido sul-norte, o tráfego está proibido para veículos pesados. A medida vale por tempo indeterminado.

[Adsense]

No documento do GDF, assinado pelo engenheiro Civil Carlos Henrique Linhares Feijão, técnicos afirmam que os danos à estrutura foram identificados durante trabalhos de reforma na rodoviária. Os seguintes problemas foram relatados à Novacap pela empresa responsável, a Concrepoxi:

  • rompimento de cabos de sustentação de vigas por corrosão,
  • problemas de infiltração;
  • problemas com estrutura do reservatório de incêndio;
  • corrosão nos guarda-corpos dos viadutos;
  • fissuras de vigas e lajes e
  • movimentação anormal da estrutura, com abertura de frestas em vigas.

    Entre os pontos descritos no relatório, as fissuras na estrutura são destacadas como “críticas e de maior relevância”. Segundo a análise, o problema pode trazer “maior risco à segurança estrutural da rodoviária, inclusive risco de colapso estrutural e desabamento, exigindo ações imediatas”.

    Estrutura comprometida

    Nesta quinta (27), a Novacap enviou outros técnicos à rodoviária para monitorar a estrutura.

    Na junção de uma das vigas que fica na plataforma superior – de frente para o shopping Conjunto Nacional –, engenheiros observaram que uma fissura que já existia no local aumentou de tamanho. A mudança, segundo os técnicos, significa comprometimento real na estrutura.

    A fissura começou com 0,4 centímetro e, na última medição, atingiu 1,5 cm – aumento de mais de três vezes. Foi a dilatação dessa abertura que deu o alerta para interdição de parte da rodoviária.

    [Adsense]

    Novas obras

    De acordo com o governador Ibaneis Rocha, as obras para sanar os problemas no local devem começar no prazo de 15 dias. A previsão é que sejam gastos cerca de R$ 6 milhões.

    Ibaneis afirma que o desgaste do tempo provocou o problema. Com a interdição, 42 linhas de ônibus que ocupam a plataforma superior da rodoviária devem ser afetadas.

    Fonte: G1

Tocando de Primeira