RJ registra recorde de trabalhadores por conta própria, aponta IBGE

RJ registra recorde de trabalhadores por conta própria, aponta IBGE

25
Compartilhar

Levantamento mostrou que o estado encerrou o primeiro trimestre de 2018 com o menor número de trabalhadores com carteira assinada. Em um ano, queda de postos com carteira assinada foi de 150 mil.

Venda de quentinhas nas ruas do Rio virou alternativa para driblar a crise no mercado de trabalho. (Foto: Reprodução/ GloboNews)

Venda de quentinhas nas ruas do Rio virou alternativa para driblar a crise no mercado de trabalho. (Foto: Reprodução/ GloboNews)

Dados divulgados nesta quinta-feira (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o Rio de Janeiro registrou recorde no número de trabalhadores por conta própria. Ao final do primeiro trimestre deste ano, havia 2 milhões de trabalhadores nesta condição, meio milhão a mais do que havia em 2012, quando tem início a série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra do Domicílios Contínua, a Pnad Contínua.

De acordo com o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, o trabalhador por conta própria indica, sobretudo, a informalidade, uma vez que são pessoas que tocam o próprio negócio, não têm empregados e, em sua maioria, não possuem CNPJ. Segundo ele, estão inseridos no ramo de alimentação a maioria dos novos trabalhadores por conta própria.

“Tem um fenômeno acontecendo em volta dos shoppings do Rio. Você vê várias pessoas vendendo quentinhas nas ruas adjacentes, cobrando valores muito mais baratos do que os cobrados nas praças de alimentação”, observou Azeredo.

No segundo trimestre de 2017, outro levantamento do IBGE já havia apontado aumento de 463% no número de vendedores de quentinhas nas ruas do Rio.

Menos carteiras de trabalho assinadas

O aumento do trabalho por conta própria, segundo o pesquisador do IBGE, tem relação direta com a precarização do mercado de trabalho. O Rio de Janeiro registrou, também ao final do primeiro trimestre deste ano, o menor número de trabalhadores com carteira assinada de toda a série histórica da pesquisa.

RJ registra o menor número de trabalhadores com carteira assinada desde 2012 (Foto: Daniel Silveira/G1)

RJ registra o menor número de trabalhadores com carteira assinada desde 2012 (Foto: Daniel Silveira/G1)

Havia 3,4 milhões de carteiras assinadas até março deste ano – 150 mil a menos que no primeiro trimestre do ano passado. O maior número de trabalhadores com carteira assinada no estado foi observado no segundo trimestre de 2013, quando chegou a 4,1 milhões.

Ainda de acordo com a pesquisa, o Rio encerrou o primeiro trimestre deste ano com 575 mil trabalhadores sem carteira assinada – um aumento de 15 mil na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, mas uma queda de 68 mil em relação ao trimestre imediatamente anterior.

Fonte: G1