José Serra tem câncer de baixa agressividade na próstata, diz boletim médico

José Serra tem câncer de baixa agressividade na próstata, diz boletim médico

76
Compartilhar

Diagnóstico foi constatado durante exames de rotina há três semanas. Senador não precisará fazer tratamento da doença, apenas acompanhamento periódico.

Senador José Serra (PSDB-SP) (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

Senador José Serra (PSDB-SP) (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O senador José Serra (PSDB), de 76 anos, foi diagnosticado com câncer de baixa agressividade na próstata, segundo informou boletim médico divulgado pela assessoria de imprensa do político e assinado pelos médicos Roberto Kalil e Miguel Srougi, na noite desta quinta-feira (8).

Ainda de acordo como boletim, o diagnóstico foi constatado durante exames de rotinas realizados há três semanas, e foi descartada a necessidade de tratamento da doença. Serra será acompanhado pelos médicos periodicamente.

Em janeiro de 2014, Serra foi submetido a uma cirurgia na próstata. À época, ele apresentava um quadro de hiperplasia prostática benigna, ou seja, quando há aumento do órgão.

Veja o boletim na íntegra:

“O Senador José Serra foi internado há cerca de três semanas no Hospital Sírio Libanês, São Paulo para exames clínicos preventivos. Nessa ocasião, foi detectada pequena alteração na próstata, biópsia local revelou a presença de adenocarcinoma de baixa agressividade. Confirmada por outros exames a indolência da lesão, descartou-se a necessidade de qualquer tratamento da doença. O paciente será apenas acompanhado periodicamente com exames rotineiros, existindo possibilidade bastante remota de se tornar necessário, no futuro, qualquer tratamento da neoplasia prostática.”

Histórico médico

Em abril de 2017, Serra foi internado por seis dias no Hospital Sírio-Libanês para tratar de uma crise de dor na coluna. Ele foi submetido a exames de avaliação do quadro clínico e realizou um check-up médico geral enquanto permaneceu no hospital.

Em fevereiro do mesmo ano, Serra deixou o cargo de ministro das Relações Exteriores alegando problemas de saúde. Na carta de demissão, ele disse que deixava o cargo porque os problemas de saúde o impediam de cumprir as viagens internacionais necessárias, além das atividades diárias.

Em dezembro de 2016, Serra foi submetido a uma cirurgia na coluna no Hospital Sírio-Libanês.

Serra também passou por um cateterismo em julho de 2013. À época, os médicos colocaram no coração dele um stent, mola metálica que expande a artéria e aumenta a capacidade de fluxo sanguíneo.

Fonte: G1