Chuva em SP mata 2 e deixa centenas de famílias desabrigadas

Chuva em SP mata 2 e deixa centenas de famílias desabrigadas

14
Compartilhar

O temporal que atingiu a capital paulista nesta terça-feira (20), nas primeiras horas do Outono, causou a morte de uma idosa e um bebê e deixou pelo menos cinco feridos e cerca de 200 famílias desabrigadas. Foram registrados mais de 14 mil raios em toda a Região Metropolitana e, somente na capital, foram cerca de 6 mil descargas elétricas. O volume de chuva que caiu na cidade de São Paulo, nessa terça-feira (20), representou 25% do esperado para o mês todo.

A forte chuva causou desabamentos, quedas de árvores e a interdição de ruas e avenidas. Toda a cidade de São Paulo entrou em atenção para alagamentos e pelo menos 50 vias ficaram intransitáveis, entre elas a Marginal do Tietê, a Rebouças e a Avenida 23 de Maio.

Trens da CPTM e do Metrô também tiveram problemas. Muitos usuários ficaram presos em estações da Linha 11 da CPTM, pois durante horas não havia tráfego entre as estações Guaianases e Itaquera. Houve problemas também em outras linhas. Na Linha 7, passageiros se assustaram com um clarão vermelho fora dos vagões. Foi um raio que caiu na composição, protegida contra esse tipo de fenômeno natural.

De acordo com os bombeiros, ao menos três casas de madeira instaladas ao lado de um pequeno rio, nas proximidades da Marginal Tietê, na zona oeste, também foram arrastadas pelas águas. Uma criança foi localizada entre os escombros e resgatada. Ela passa bem.

O Centro de Gerenciamento de Emergência (CGE) da prefeitura informou que o Córrego Morro do Esse, na Avenida Carlos Caldeira Filho, cruzamento com a Rua Joaquim Nunes Teixeira, na zona sul, transbordou.

A Defesa Civil colocou em estado de alerta a região do M’boi Mirim, na zona sul, por conta do transbordamento. As demais áreas do município ficaram em estado de atenção. Há o registro da queda de mais de 90 árvores, segundo os bombeiros.

O temporal, que começou na tarde da terça-feira, se estendeu até a noite em algumas regiões. O desabamento de barracos na favela da Água Branca, na zona oeste da cidade, a região mais atingida pelo temporal, causou a morte de uma menina de 1 ano e 8 meses. Outras três pessoas ficaram feridas.

Segundo policiais, o bebê estava com a avó na hora do desabamento. As duas foram socorridas, mas a menina não resistiu. No bairro do Limão, zona norte da cidade, Vitoriana Leão, de 85 anos, morreu depois que a casa da família foi atingida pela enxurrada. Outras duas pessoas ficaram levemente feridas.

Balanço divulgado pelo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), órgão da Prefeitura de São Paulo, A área mais atingidas pela chuva foi a zona oeste (70 milímetros), seguida do centro (60 milímetros), zona sul (42 milímetros), zona norte (38,5 milímetros). A média de chuvas para o mês de março é de 175,5 mm.

Por causa da chuva, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) prometeu rever multas de rodízio aplicadas entre 17h e 20h. Quem foi notificado deve fazer um recurso no DSV, o Departamento de Operação do Sistema Viário.

Em Mogi das Cruzes e região a chuva foi bem mais fraca e não causou problemas.

Fonte: Correio independente