Empresária fatura R$ 6 milhões com fraldas para cães

Empresária fatura R$ 6 milhões com fraldas para cães

336
Compartilhar

Muitas vezes, a ideia de um negócio vem da experiência pessoal na vida do empreendedor. Este é o caso da paulistana Carolina Vaz, fundadora da Dog’s Care, marca de produtos higiênicos para cachorros criada em 2006. Ela e o marido eram donos da Jully, uma cachorrinha da raça Lhasa Apso que serviu como inspiração. “A Jully fazia xixi fora do lugar, era difícil de adestrar e sujava toda a casa, principalmente quando estava no cio”, conta a empresária de 39 anos.

Para resolver o problema, eles colocavam fraldas de bebê na cachorrinha. “Deu certo depois de algumas tentativas mas dava muito trabalho cortar a fralda para encaixar na Jully. Começamos a nos perguntar se mais pessoas passavam por isso”, lembra Carol, que trabalhava como produtora de eventos na época.

O casal descobriu que ainda não eram feitas fraldas para cachorros e decidiram fabricar o produto. “Pesquisamos sobre como fazer uma fralda infantil, falamos com veterinários e com um terapeuta comportamental de cães para entender qual seria o melhor formato anatômico”.

De 2004 a 2006, eles focaram no desenvolvimento do produto – desde os componentes até as embalagens. “Ouvimos críticas de pessoas que nos achavam malucos por querer fazer fraldas para cachorros”, afirma Carol, que usou suas economias de R$ 30 mil para desenvolver e patentear as primeiras fraldas. Para poder se dedicar totalmente ao novo negócio, ela largou o emprego e foi atrás de petshops para ver se eles topariam vender sua criação.

Apesar de ter aprovação das lojas, o produto não foi recebido como o esperado. “Os consumidores não entendiam qual era a função das fraldas”, conta Carol. Nesta época, a empresa produzia cerca de 3 mil unidades por mês, que acabavam acumulando no estoque. “Tivemos que trabalhar na divulgação e fazer demonstrações para que as pessoas entendessem a utilidade”. A medida deu certo e eles conseguiram aumentar as vendas.

Segundo Carol, o maior objetivo do produto é melhorar a convivência com os animais. “Queria que as pessoas percebessem que é possível viver com cachorro dentro de casa. Além disso, a fralda também é útil para os animais usarem em viagens longas dentro de um carro.”

E não são apenas cachorros que usam as fraldas. “Nós fazemos pensando na anatomia dos cachorros, mas algumas pessoas acabam adaptando e usando em gatos. Tem uma outra cliente que coloca em um porquinho”.

Atualmente, a fábrica produz até um milhão de fraldas por mês que são distribuídas por todo o Brasil. A empresa também está investindo em outros produtos que Ana define como “ essenciais para a convivência no dia a dia”, como tapetes higiênicos e acessórios para passeios. O faturamento foi de R$ 6 milhões em 2017.

Eles também fizeram uma mudança nas embalagens da marca e pretendem criar novos produtos, como brinquedos para estimular a mente dos animais. Com as mudanças, a empresa tem a meta de faturar R$ 9 milhões em 2018.

Fonte: PEGN