“Boteco do Sucesso”: dicas para abrir um negócio no setor de bares

“Boteco do Sucesso”: dicas para abrir um negócio no setor de bares

213
Compartilhar

Para ajudar quem já pensou em abrir um bar, a Feira do Empreendedor SP 2018 terá um espaço exclusivo chamado “Boteco do Sucesso”. O local vai ser funcionar como um estabelecimento de verdade, com mesas, cadeiras e balcão. Ao longo das visitas, os visitantes poderão conversar com consultores sobre todos os passos para montar o negócio.

Responsável pelo espaço na feira, a consultora do Sebrae-SP Karyna Muniz dá algumas dicas para quem deseja abrir um boteco de sucesso:

Qual é o primeiro passo?

A pessoa interessada em abrir um bar deve estudar o setor e fazer uma análise de mercado para ver se vale a pena seguir com o projeto. “Ela deve ver se tem um público-alvo, se é permitido abrir um bar no local que ele deseja, informar-se sobre alvará da prefeitura”, explica Karyna. Para isso, a consultora recomenda entrar em contato com uma empresa de contabilidade para ter orientação sobre tributações e outras burocracias.

O cardápio

Considerando que é um estabelecimento para servir comidas e bebidas, os botecos devem ser pensados com atenção total ao cardápio. “Não é apenas escolher os produtos pelo gosto pessoal. O empresário deve analisar se é viável a produção. Não adianta ter algo legal no cardápio se o cliente pedir e não tiver no estabelecimento.”

O lucro dos pratos é uma das coisas mais importantes a se analisar. “O empresário tem que saber quais são os pratos mais vendidos e se eles dão lucro. Se tiver um prato pouco lucrativo e não tiver muitas vendas, ele deve ser tirado do cardápio”. O empresário não deve ter apego com algum prato. “Ninguém abre um negócio para não lucrar”, afirma Karyna.

A preparação dos alimentos e bebidas também deve ser levada em consideração. “Os pratos precisam ter um padrão na produção. Isso ajuda a fidelizar a clientela que sabe que voltará ao bar para consumir o mesmo produto que ele gostou.”

Além disso, é fundamental que os clientes encontrem novidades no cardápio. De acordo com Karyna, o estabelecimento deve lançar novos produtos a cada seis meses.

Escolher os funcionários

Independentemente do tipo de bar, o empresário deve contratar um funcionário que tenha proatividade para ajudá-lo no que for preciso. Além disso, segundo Karyna, é preciso que ele tenha fluidez no jeito de se mover para não esbarrar em clientes ou derrubar os pedidos.

Quais são as tendências?

De acordo com Karyna, a tendência é que surjam estabelecimentos mais modernos, voltados para um público mais jovem. “É sempre o jovem que vai consumir, em happy hour ou em outros eventos. Eles são o foco”. Para isso, ela sugere investir em tecnologias, como o autoatendimento.

Mas, apesar disso, o público mais velho também não deve ser esquecido. “Os estabelecimentos podem servir comfort foods [mais conhecidas] para este público mais tradicional se sentir bem. Em São Paulo, por exemplo, um bom virado à paulista sempre funciona bem.”

Fonte: PEGN