Após demissão, empresário cria rede de sorveterias e fatura R$ 800 mil

Após demissão, empresário cria rede de sorveterias e fatura R$ 800 mil

201
Compartilhar

Ser demitido não é uma experiência das mais agradáveis. Mas no caso do paulista Luciano Rodrigo de Souza, de 40 anos, ser mandado embora teve um lado bom. Ao deixar o cargo de gerente de uma rede de sorveterias, ele decidiu empreender: abriu a Shakerama Shakes e Delícias.

O negócio faturou R$ 800 mil em 2017.Souza tem uma carreira extensa: aos 12, já trabalhava como servente de pedreiro. Mas sua experiência mais marcante como funcionário ocorreu no McDonald’s. Ele trabalhou na rede dos 15 aos 32 anos e chegou a ser gerente de uma das lanchonestes.

Para Souza, o tempo de McDonald’s foi de grande importância para ele entender como funcionava um negócio. “Foi lá que eu aprendi a trabalhar como um gestor”, afirma o empresário, que se formou em administração enquanto trabalhava na lanchonete.

No entanto, com vontade de fazer pós-graduação mas sem dinheiro para pagar a mensalidade, Souza decidiu que era hora de procurar um emprego que pagasse melhor.

A oportunidade surgiu quando um amigo o apresentou ao dono de uma rede de sorveterias. O empresário estava em busca de um profissional para padronizar o atendimento e o visual das unidades.

Souza trabalhou por seis anos na rede e contribuiu para uma expansão significativa: o número de unidades foi de 40 a 250. Mas, após tentarem diminuir a porcentagem do faturamento que ele recebia, Souza teve um desentendimento com o dono da rede e foi demitido.

 

Foi aí que o empresário teve a ideia de abrir seu próprio negócio de sorvetes, em 2015, e investiu os R$ 400 mil que tinha economizado durante a vida na abertura da Shakerama. A primeira unidade foi aberta em Araxá, em Minas Gerais, a 380 quilômetros da casa de Souza.

O empresário escolheu a cidade porque sabia de uma sorveteria que fazia sucesso no local e acreditou no potencial de abrir uma loja concorrente. Com os planos de franquar o negócio, ele também percebeu que havia a oportunidade de testar um sistema de gestão a distância.

Com o sucesso da loja, a rede abriu duas unidades franqueadas em Jacareí, em São Paulo, e Canavieira, na Bahia. Diferentemente de quando trabalhava como diretor executivo, Souza planeja um crescimento mais lento e mais estruturado das franquias: a meta é abrir uma loja por mês até o fim do ano que vem.

Fonte: PEGN