Supermercados Publix cancela doações a políticos após protestos de estudantes vítimas de...

Supermercados Publix cancela doações a políticos após protestos de estudantes vítimas de ataques com armas de fogo nos EUA

312
Compartilhar

NOVA YORK – A rede de supermercados Publix anunciou ter suspendido todas as doações políticas, horas depois de alguns sobreviventes do massacre da escola em Parkland no estado americano da Flórida terem liderado um protesto em que se deitaram no chão para simbolizar as pessoas mortas por armas de fogo.

Uma dezena de manifestantes se reuniram para dramatizar sua morte na loja da Coral Ridge Drive

Os ativistas do movimento Never Again convocaram a manifestação depois de ficar sabendo sobre as doações do Publix a candidato a governador da Flórida Adam Putnam, que se identificou como “orgulhosamente pago pela NRA” (Associação Nacional do Rifle)

Uma dezena de manifestantes se reuniram para dramatizar sua morte na loja da Coral Ridge Drive, a poucas quadras da escola Marjory Stoneman Douglas onde ocorreu o massacre de 14 de fevereiro.

“No Publix, respeitamos os estudantes e membros da comunidade que escolheram expressar suas vozes sobre estes temas. Lamentamos que nossas contribuições tenham levado à uma divisão em nossa comunidade. Não tínhamos a intenção de colocar nossos funcionários e clientes no meio de um debate político. Ao mesmo tiempo, preservamos nosso compromisso de manter um ambiente de compras acolhedor para nossos clientes.

Nunca decepcionaríamos nossos clientes ou as comunidades que servimos de maneira proposital. Como resultado, no início desta semana decidimos suspender as contribuições políticas financiadas pelas empresas à medida que reavaliamos nossos processos de doações”.

Os jovens receberam de forma positiva a decisão de Publix de suspender as doações, mas mantiveram o ato de protesto em várias lojas da rede de supermercados, após terem conhecimento da doação de 670,000 dólares nos últimos três anos da corporação à Putnam. “Quando dão meio milhão de dólares a um político qualificado A (pela NRA), não estão defendendo seus empregados que vão à Stoneman Douglas. Estão defendendo o lobby das armas”, disse David Hogg, líder dos estudantes.

Com AcheiUSA