Trump desconvida campeões do futebol americano para ir Casa Branca e causa...

Trump desconvida campeões do futebol americano para ir Casa Branca e causa polêmica nos EUA

329
Compartilhar

NOVA YORK – O presidente dos EUA, Donald Trump, se envolveu em nova polêmica ao desconvidar o campeão do campeonato de futebol americano dos Estados Unidos, Philadelphia Eagles, para visitar a Casa Branca. Sem os atletas, o chefe de Estado americano promoveu na terça-feira (5) um evento de “Celebração da América” com uma banda de fuzileiros navais .

O convite foi desfeito de maneira abrupta, depois de alguns jogadores sinalizarem que não participariam do encontro. “Os Eagles não poderão vir com sua equipe completa à Casa Branca amanhã [terça-feira]”, disse Trump, em um comunicado divulgado pela Casa Branca, cancelando a visita.

Os jogadores da liga americana estão em meio a um debate nacional devido ao fato de alguns deles se ajoelharem durante a execução do hino nacional em protesto ao tratamento dado pela Justiça americana aos cidadãos negros, que consideram desigual – uma atitude que Trump associa à falta de patriotismo.

“Não concordam com seu presidente, porque ele quer que fiquem parados orgulhosos para o hino nacional, com a mão no peito, em honra dos nossos militares e do povo do nosso país”, afirmou o comunicado.

Um detalhe: os atletas do Eagles nunca participaram desse tipo de protest de acordo com o “Washington Post”.

Há alguns meses, Trump mantém um conflito aberto com os jogadores da liga de futebol americano e chegou a afirmar que estes atletas “não deveriam estar no país”.

A interpretação do protesto como uma falta de respeito contra a bandeira americana abriu espaço para a polêmica. Torcedores ficaram enfurecidos e vários conservadores, donos de equipes que apoiam Trump, ficaram em uma posição incômoda à medida que as audiências das partidas na TV registravam queda.

No fim de maio, os proprietários das franquias anunciaram que os jogadores terão a obrigação de permanecer de pé ou ficar no vestiário durante o hino nacional antes das partidas.

O time da Filadélfia respondeu a retirada do convite com um breve comunicado, no qual afirmam que “ver toda a comunidade dos Eagles junta tem sido uma inspiração. Estamos realmente agradecidos por todo o apoio que recebemos e agora buscamos continuar com nossos preparativos para a temporada 2018”, de acordo com a France Presse.

Celebração da América

Após desconvidar o Eagles para a visita à Casa Branca, Trump anunciou a organização da “Celebração da América” nos jardins da residência presidencial, devidamente decorada com bandeiras americana

“Nós orgulhosamente tocaremos o Hino Nacional e outras músicas maravilhosas que celebram nosso país hoje às 15h, na Casa Branca, com a Banda Marinha dos Estados Unidos e o Coro do Exército dos Estados Unidos. Honrando a América! NFL (sigla em inglês da Liga Americana de Futebol), sem fugir para vestiários!”

Enquanto o hino era tocado pela banda de fuzileiros navais, um homem que não foi identificado se ajoelhou em protesto.

Divisão

A polêmica levou a estrela do basquete LeBron James, do Cleveland Cavaliers, a prever que nenhum time vai querer visitar a Casa Branca no ano que vem, segundo o “Washington Post”.

“O presidente deixou bem claro que vai tentar dividir todos nós neste país em busca de ganhos políticos”, disse o técnico dos Warriors, Steve Kerr.

Com G1