Tiroteio em jornal nos Estados Unidos deixa 5 mortos

Tiroteio em jornal nos Estados Unidos deixa 5 mortos

125
Compartilhar

Um tiroteio na redação do jornal “Capital Gazette“, em Annapolis, no estado americano de Maryland, deixou ao menos 5 mortos e vários feridos graves nesta quinta-feira (28), de acordo com a polícia. Um suspeito foi detido.

Até a última atualização desta reportagem, não havia informação de quantas pessoas ficaram feridas. A polícia local disse que informaria mais sobre o caso em breve.

Phil Davis, um repórter do “Gazette”, estava no local do tiroteio.

“Atirador disparou pela porta de vidro do escritório e abriu fogo contra vários funcionários. Não posso dizer muito mais e não quero declarar ninguém morto, mas a coisa está ruim ”, escreveu Davis no Twitter enquanto esperava para ser ouvido pela polícia. “Não há nada mais aterrorizante do que ouvir várias pessoas sendo baleadas enquanto você está sob sua mesa e depois ouvir o recarregamento do atirador.”

Em uma entrevista posterior, Davis disse que a redação estava “como uma zona de guerra”, uma situação que seria “difícil de descrever”.

“Sou um repórter de polícia. Escrevo sobre essas coisas — não necessariamente até este ponto, mas tiroteios e morte — o tempo todo ”, disse ele. “Mas por mais que eu tente articular como é traumatizante estar escondido debaixo da sua mesa, você não sabe até que você esteja lá e se sinta desamparado.”Davis disse que ele e outros colegas ainda estavam se escondendo sob suas mesas quando o atirador parou de atirar. “Eu não sei por quê. Eu não sei por que ele parou ”, disse.

Às 16h30 (de Brasília), a polícia do condado de Anne Arundel — onde fica a cidade de Annapolis — anunciou pelo Twitter que ainda fazia buscas na sede do jornal. O edifício foi esvaziado.

Por precaução, os policiais também fizeram ronda na redação do Baltimore Sun, outro jornal do estado americano de Maryland.

Imagens da TV mostraram pessoas saindo do prédio com as mãos para cima, com policiais dirigindo-as para um estacionamento enquanto agentes entravam no edifício.

O tenente Ryan Frashure, porta-voz da polícia, declarou que as autoridades estavam fazendo de tudo para retirar as pessoas com segurança. Ele citou outros perigos possíveis, como bombas e atiradores.

Fonte: G1