Trump anuncia maior rigor na emissão de Autorizações de Trabalho para imigrantes

Trump anuncia maior rigor na emissão de Autorizações de Trabalho para imigrantes

26
Compartilhar

Tocando de Primeira

A administração Trump emitiu uma nova orientação política nesta segunda-feira, dia 19, reforçando as regras para conceder autorização de trabalho para imigrantes que foram temporariamente autorizados a entrar nos Estados Unidos por “razões humanitárias urgentes ou benefício público”, sob a Lei de Imigração e Nacionalidade.

A medida aconteceu uma semana depois de a Casa Branca ter promulgado uma regra que fortalece a capacidade de autoridades federais de negar Green Cards a imigrantes que provavelmente dependem de benefícios do governo.

Tocando de Primeira

A Seção 212 (d) (5) (A) da Lei de Imigração e Nacionalidade permite que o Departamento de Segurança Interna decida quando deve permitir a entrada de imigrantes sob circunstâncias “extraordinárias”, tais como visitar um parente moribundo ou obter tratamento médico.

Esta entrada é um privilégio – não um direito – e a orientação do governo deixou claro que as autoridades estavam desconfiadas de que estavam sendo enganadas em alguns casos.

Os Serviços de Cidadania e Imigração dos EUA (USCIS, sigla em inglês) disseram que a nova orientação enfatiza “o uso de discrição ao determinar se deve conceder autorização de emprego para imigrantes em conformidade com as políticas existentes”.

“O USCIS determinou que é necessário emitir essa orientação neste momento porque há uma emergência nacional na fronteira sul dos EUA, onde imigrantes estão entrando ilegalmente no país”, disse a agência em um comunicado.

A Casa Branca tem defendido suas duras políticas de imigração como a causa de um recente declínio nas detenções de imigrantes na fronteira. O número de imigrantes encontrados pelas autoridades norte-americanas na fronteira com o México caiu para menos de 100 mil pela primeira vez em cinco meses, em meio ao aumento da colaboração do México e da Guatemala para reprimir o fluxo de pessoas que visam fazer a travessia, segundo dados do governo divulgados no início deste mês.

A Patrulha de Fronteiras (CBP, sigla em inglês) encontrou 82.049 pessoas em julho, uma queda de 21% em relação a junho, quando havia 104.344 pessoas e uma queda de 43% em relação a maio.  O número de famílias e menores que atravessam a fronteira também caiu.

Em relação a Autorização de Trabalho, não foi detalhado como serão estas mudanças.

Fonte: Brazilian times

Tocando de Primeira