“ICE” realiza mega operação para prender imigrantes indocumentados em lojas do 7-Eleven...

“ICE” realiza mega operação para prender imigrantes indocumentados em lojas do 7-Eleven nos EUA

230
Compartilhar

NOVA YORK – Uma nova ofensiva da administração federal promete causar arrepios na comunidade imigrante em vários postos de trabalho. Os agentes do “ICE” fizeram batidas em 98 lojas do “7-Eleven”, em 17 estados, além da capital do país.

Ao todo, 21 pessoas foram presas sob suspeita de estarem ilegalmente nos Estados Unidos, e receberam ordens de comparecimento em tribunais de imigração.

Esta operação focou em franquias na Califórnia, Colorado, Delaware, Flórida, Illinois, Indiana, Maryland, Michigan, Missouri, Nevada, Nova Jersey, Nova York, Carolina do Norte, Oregon, Pensilvânia, Washington, Texas e Washington DC.

Derek Benner, chefe interino do ICE – National Security Investigations, que supervisiona casos contra empregadores, disse à Associated Press que esta operação é “a primeira de muitas” e “um pressentimento de coisas por vir” para os empregadores que utilizam mão de obra indocumentada.

Mais audiências e investigações serão realizadas em todo o país este ano, sem se limitar a grandes empresas ou se concentrar em qualquer indústria em particular, advertiu.

“Isto é o que estamos nos preparando para este ano, e o que eles vão ver mais e mais são essas inspeções de conformidade em larga escala. A partir daí, veremos se esses casos justificam um cargo administrativo ou uma investigação criminal”, disse Benner.

As auditorias realizadas pelo ICE, nas franquias 7-Eleven, podem gerar processos criminais ou multas por suas práticas de contratação. A empresa, com mais de 8,6 mil agências nos EUA, disse em comunicado oficial que estava ciente da operação e que “cumpre com as leis de imigração seriamente”, embora seja executado, em princípio, por cada proprietário da franquia.

A operação desta quarta-feira é a continuação de uma investigação de 2013 que resultou em acusações contra várias franquias e gerentes do 7-Eleven, em Nova York e Virgínia. Oito se declararam culpados e condenados a pagar mais de 2,6 milhões de dólares em salários atrasados; O nono foi preso em novembro passado.

Malik Yousaf, proprietário de várias franquias em Long Island e Virginia, foi condenado em meados de dezembro de 2016 a 4 anos, em prisão federal, por cometer fraudes eletrônicas, por esconder e abrigar imigrantes indocumentados.

Com Br Média