Filho cria site para agendar faxinas da mãe e quadruplica sua renda

Filho cria site para agendar faxinas da mãe e quadruplica sua renda

335
Compartilhar

Como aproveitar a internet para divulgar melhor seu serviço e começar a ganhar dinheiro com isso? O paulistano Flávio Doria, sua mãe Ieda e seu irmão Silvio podem mostrar como.

Os irmãos construíram o “Sua Casa Limpa”, um site para facilitar o agendamento de clientes dispostos a contratar os serviços de faxina da mãe. Em menos de três meses, eles já multiplicaram em quase quatro vezes a renda.

Depois que Ieda, de 52 anos, ficou desempregada em abril de 2017, seus dois filhos gêmeos, Flávio e Silvio, de 30 anos, resolveram pensar em uma forma de angariar mais clientes para ela.

No início, Flávio, estudante do curso de administração, desenhou um cartão de visitas simples e espalhou os exemplares pelo prédio. “Recebemos tanta ligação que tivemos vontade de alcançar mais pessoas”, diz . “Aí tivemos a ideia de criar um site.”

Em três meses, a renda de Ieda, no início de R$ 1,5 mil reais, passou para pouco mais de R$ 4 mil. “Agora temos até mesmo uma cliente youtuber” afirma ele, referindo-se a Nathalia Curi, do canal Me Poupe, que tem cerca de 600 mil inscritos em seu canal.

No site “Sua Casa Limpa” é possível escolher entre a faxina para apartamento, para escritórios e um serviço de passar roupas. Segundo Doria, o mais pedido é o primeiro, em que o cliente paga R$ 99 por quatro horas de limpeza.

Os irmãos já compraram um robô aspirador e um aparelho israelense capaz de limpar vidros por dentro e por fora. A última aquisição foi motivada pela preocupação do filho com a mãe, que precisava limpar as janelas dos prédios. “Fiquei com medo, achei aquilo meio perigoso e fui atrás. No final achei esse aparelho israelense bem moderno e resolvemos investir”, diz ele.

Segundo Doria, sua mãe está mais feliz do que estava quando tinha um emprego. “Minha mãe está adorando. Agora, ela ganha um dinheiro que nunca ganhou na vida inteira. Ela está até mais empolgada que a gente”, afirma Flávio.

A projeção da família é otimista. Segundo Flávio, se a meta de R$ 1 mil por semana continuar a ser alcançada, eles terminarão o ano com R$ 30 mil de faturamento.  “Já estamos cadastrados no Portal do Empreendedor, voltado para microempreendedores individuais, e mais pra frente queremos contratar alguém porque o serviço só cresce”, diz ele. “Já estou pesquisando porque queremos criar um aplicativo também.”

Fonte: PEGN