EUA preparam-se para o pior furacão da década

EUA preparam-se para o pior furacão da década

12947
Compartilhar

Será o primeiro furacão a atingir a costa do Texas desde o Furacão Ike, em 2008, e a expectativa é de que seja mesmo o mais forte dos últimos 12 anos: o furacão Harvey deverá fustigar esta sexta-feira o estado do Texas e, nas últimas horas, dezenas de milhares de pessoas foram retiradas de casa, as explorações petrolíferas no Golfo do México deverão encerrar e cerca de 700 membros da guarda nacional dos EUA estão em alerta para quaisquer ocorrências.

O diretor do serviço de meteorologia dos EUA, Louis Uccellini, admite que o Harvey, que começou como tempestade tropical mas evoluiu para furacão, traga ventos fortes, chuvas torrenciais e cause inundações que poderão durar até meados da próxima semana.


Ao longo de cerca de 600 quilómetros da costa do Texas, as autoridades estão em alerta: os ventos poderão chegar aos 200 quilómetros por hora. O Harvey evoluiu de tempestade tropical para furacão de nível um e, na manhã desta sexta-feira, passara já para o nível dois, esperando-se que nas próximas horas atinja o nível três alimentado pelas águas mornas do Golfo do México. Mas deverá perder intensidade ao tocar terra, previsivelmente na madrugada de sexta-feira, provocando ainda assim chuvas intensas nas áreas das cidades de Houston e San Antonio.

O presidente dos EUA está a acompanhar o desenvolvimento da situação, disse ontem, quinta-feira, a porta-voz da Casa Branca. No Twitter, Trump aconselhou os norte-americanos a prepararem-se com antecedência para o furacão.


Segundo a agência Reuters, o serviço de meteorologia dos EUA emitiu entretanto um aviso à população: “é o momento de, urgentemente, fugir do vento. A falta de abrigo adequado pode resultar em ferimentos graves, perda de vidas ou intenso sofrimento humano”.

Do Diário de Notícias

Com informações da Agência Reuters