MEC poderá usar adiamento de reajuste de servidor para gastos em 2019

MEC poderá usar adiamento de reajuste de servidor para gastos em 2019

28
Compartilhar

Foi apresentada uma proposta que economiza R$ 6,9 bilhões em 2019 e garante mais recursos ao MEC (Ministério da Educação)

MEC poderá usar adiamento de reajuste de servidor para gastos em 2019

Segundo assessores presidenciais ouvidos pela reportagem, a medida prevê que, no caso específico do MEC, a pasta possa usar livremente o valor que conseguir poupar com o adiamento do reajuste dos seus servidores. Não há uma estimativa do montante que a pasta poderia economizar.

Os recursos poupados pelas outras pastas com o adiamento iriam para áreas sociais e investimentos da União, segundo essa proposta. A reunião não foi conclusiva, e Temer ficou de avaliar a medida.

A delicada situação orçamentária em 2019 de programas geridos pelo MEC ficou em evidência na semana passada, quando a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), maior agência de fomento à pós-graduação no Brasil, emitiu uma nota afirmando que, se o orçamento do ano que vem vier como o planejado, em agosto já não haverá mais recursos para bolsas de estudos.

O número de prejudicados, nas contas da agência, pode superar os 440 mil. São cerca de 93 mil alunos de pós-graduação (mestrado, doutorado e pós-doutorado), 105 mil beneficiários de programas voltados à educação básica e 245 mil pessoas ligados à Universidade Aberta do Brasil (UAB), entre alunos e bolsistas -professores, tutores, assistentes e coordenadores.

Na ocasião, Temer garantiu que não faltariam recursos para a Capes.

Os valores que serão distribuídos a cada ministério do Orçamento de 2019 serão divulgados quando a proposta da LOA (Lei Orçamentária Anual) do ano que vem for encaminhada ao Congresso, até o dia 31 deste mês. Com informações da Folhapress.

Fonte: www.noticiasaominuto.com.br