MEC divulga balanço de inscritos no ENEM

MEC divulga balanço de inscritos no ENEM

62
Compartilhar


Em 2018, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve um total de 6,7 milhões de inscritos, entre os quais 3,5 milhões conseguiram isenção. As inscrições que geraram Guia de Recolhimento da União (GRU) foram 3,2 milhões; e as efetivamente pagas somaram 1,9 milhão. As inscrições confirmadas foram 5,5 milhões. No Distrito Federal, foram confirmadas 106.309 inscrições.

Os números foram anunciados em coletiva de imprensa nesta terça-feira (29) no auditório do Ministério da Educação. A coletiva foi conduzida pelo ministro da Educação, Rossieli Soares. Também participaram do encontro membros da diretoria do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep): Eunice Santos (Gestão e Planejamento); Luana Bergmann (Avaliação da Educação Básica); e Camilo Mussi (Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais).


Dinheiro jogado fora

O ministro destacou as altas cifras de desperdício causadas por pessoas que conseguiram isenção na prova e faltaram ao exame nos anos anteriores. De 2014 a 2017, o desperdício foi de R$ 962 milhões. Só no ano passado, o total foi de R$ 176.590.327,62. Por isso, Soares ressaltou a mudança nas regras para conseguir isenção novamente como importante.

Esta foi a primeira edição do Enem em que a solicitação de isenção foi anterior à inscrição, e os isentos que faltaram tiveram de justificar a ausência para conseguir a gratuidade novamente. “A nossa busca é por aperfeiçoar o modelo para que quem se inscreva realmente faça a prova.”

Segundo ele, até mesmo os participantes pagantes que não comparecem geram prejuízo, pois o valor das inscrições é inferior ao de custos gerados por aluno. “Não podemos ter 2 milhões de pessoas gerando custos e não participando efetivamente, muitas vezes, sem justificativa”, reclama. “Temos de, cada vez mais, buscar combater o desperdício de dinheiro público, que pode ser aplicado em outras áreas.”

Eunice Santos, diretora de Gestão e Planejamento do Inep, observou que, entre as 2 milhões de pessoas que faltaram ao exame no ano passado, cerca de 222 mil solicitaram isenção este ano. Entre esse total, 206 mil tinham conseguido gratuidade em 2017 e faltaram ao teste. Apenas 4.345 conseguiram justificar a ausência para garantir isenção novamente.


Próximas datas do Enem 2018

Agora que já passaram os prazos para pedido de isenção, justificativa de ausência e inscrição, os participantes do Enem devem aguardar a chegada dos cartões de confirmação de inscrição do Enem de 2018, que serão divulgados em 22 de outubro. As provas serão aplicadas em 4 e 11 de novembro. dois domingos. Para inscritos privados de liberdade, os testes serão em 18 e 19 de novembro. Já a divulgação dos resultados do teste está prevista para ocorrer em 17 de janeiro de 2019.

Greve dos caminhoneiros

Questionado sobre os efeitos da paralisação no transporte rodoviário na educacional nacional, Rossieli Soares destacou impactos nos hospitais universitários, ligados a universidades federais. “Existe uma preocupação com os pacientes, pois há dificuldades até em termos de alimentação”, comentou. Falta de recolhimento de lixo hospitalar é outro problema, que tem se mostrado grave.

“Se continuar assim, há chance até de fechar um hospital por risco de contaminação”, exemplifica. O ministro relatou que o hospital universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) enfrentou dificuldades para fornecer atendimento de hemodiálise. “Estamos acompanhando cada uma das situações para prestar a ajuda necessária”, garante.

Com relação à educação básica, o ministro comemorou o fato de o número de escolas sem aula ter caído. “Tivemos diminuição da quantidade de redes com paralisação. O atendimento à merenda deve ser sempre normalizado, mas temos a maioria das escolas com estoque”, diz. Apesar disso, ele ponderou que esse gerenciamento não é de responsabilidade do MEC, ma, sim, de cada rede (municipal, estadual e distrital). “Estamos sempre em contato para entender as dificuldades e auxiliar no que for necessário”, completa.

Do Correio Braziliense