Futura Secretária Executiva do MEC defende educação “baseada na palavra de Deus”

Futura Secretária Executiva do MEC defende educação “baseada na palavra de Deus”

12
Compartilhar

A nova Secretária Executiva do Ministério da Educação, posto mais importante da pasta depois do ministro, terá que adaptar sua visão de educação à Constituição Federal para exercer sua função. A pedagoga e pastora evangélica Iolene Lima, indicada por Vélez Rodrigues para o cargo na última quinta-feira (15), era diretora de uma escola em que os alunos aprendiam, segundo ela mesma, que Deus é o criador de todas as ciências.

Em uma entrevista de 2014 para um programa da TV “Feliz Cidade”, um canal evangélico, Lima contou como funcionava a escola que dirigia em São José dos Campos, no interior de São Paulo.

“É uma educação baseada em princípios, ou seja, baseada na palavra de Deus. É uma cosmovisão cristã (…) O aluno aprende que o autor da história é Deus. O realizador da geografia é Deus. Deus fez as planícies, fez os relevos, fez o clima. O maior matemático foi Deus. (…) Os alunos menores de primeiro ano, o primeiro contato que eles têm com a matemática é pelo livro de Gênesis. É todo o currículo escolar organizado sob a ótica das Escrituras. Elas não limitam o conhecimento, mas é a partir delas que o professor invade as áreas do conhecimento e apresenta o conhecimento formal para os alunos. (…) Somente em Cristo nós podemos educar bem”, disse.

Legal no âmbito da religiosidade, o princípio defendido por Iolene, se for colocado como verdade em escolas, fere o princípio do Estado laico.

Fonte: Revista Fórum