Diretor do ICE diz que vai continuar enviando agentes aos tribunais para...

Diretor do ICE diz que vai continuar enviando agentes aos tribunais para imigrantes ilegais nos EUA

121
Compartilhar

NOVA YORK – Durante um discurso inflamado e para centenas de agentes da lei, o diretor interino do Immigration and Customs Enforcement (ICE), Thomas Homan, ataca os ativistas políticos que apoiam a imigração ilegal e diz que nunca “recuará” de proteger as fronteiras do país.

O discurso foi realizado na quarta-feira, dia 31de janeiro, no Border Security Expo, em San Antonio (Texas). Com um tom ameaçador e revoltado, ele disse que apoia 100% a construção do muro na fronteira.

Ele também acrescentou que está “doente e cansado de ver os agentes do ICE e da Patrulha de Fronteira fazendo o seu trabalho e serem criticados”.

Ainda bastante indignado ele afirma que “se você violar as leis deste país, se você entrar ilegalmente, isso é um crime e não vai ser mais tolerado”.

O diretor ressalta que as cidades do santuário colocam em perigo os oficiais federais porque muitas vezes forçam agentes a fazer prisões em casas e locais de trabalho – em vez de ambientes controlados pela justiça, como prisões tribunais estaduais.

“Elas [cidades santuário] financiam as organizações criminosas que mataram agentes da Patrulha da Fronteira e mataram agentes do ICE”, disse Homan. “Fico irritado quando um político que nunca tenha usado um crachá e uma arma, que não entende o que fazemos todos os dias, tome uma decisão de colocar suas próprias carreiras políticas à frente da saúde e segurança de um policial”, continuou. “Uma vergonha!”

O discurso de aproximadamente 40 minutos aconteceu no mesmo dia em que a ICE formalizou uma política para enviar agentes de deportação a tribunais federais, estaduais e locais para fazer prisões.

Esta conduta do ICE ignora as queixas de juízes e ativistas de que a medida provoca medo em testemunhas e parentes de quem é alvo de deportação.

As diretrizes de duas páginas emitidas pelo ICE indica que ele vai entrar em tribunais, mas apenas com objetivos específicos tais como: prender criminosos condenados, membros de gangues, ameaças à segurança pública e imigrantes que já foram deportados ou aqueles que já receberam ordens para sair do país. Família, amigos ou testemunhas em tribunais não serão detidos, garantiu a agência, mantendo uma reserva para “circunstâncias especiais”.

A política assinada pelo diretor Thomas afirma ainda que os agentes de imigração, em geral, devem evitar prisões em áreas que não são destinadas para criminosos, como tribunais de família e reclamações juvenis, a menos que haja a aprovação de um oficial.

Com Brazilian Times