Coutinho, Bergkamp, Seedorf, Pirlo, Roberto Carlos… Veja a ‘seleção’ que a Inter...

Coutinho, Bergkamp, Seedorf, Pirlo, Roberto Carlos… Veja a ‘seleção’ que a Inter de Milão desprezou

28
Compartilhar

Na última segunda-feira, o Barcelona confirmou a contratação do meia Philippe Coutinho por incríveis 160 milhões de euros (620,5 milhões), o que fez do brasileiro a 2ª contratação mais cara da história, atrás apenas de Neymar.

O mais incrível da história, porém, é o lucro que o Liverpool teve na transação, já que os ingleses haviam comprado o armador por apenas 13 milhões de euros (R$ 50,4 milhões) da Inter de Milão, em janeiro de 2013.

Nas últimas décadas, porém, virou algo até normal a Inter desprezar jovens talentos e vendê-los a “preço de banana” para outros clubes, vendo depois os atletas brilharem em outras equipes – muitas vezes, até no rival Milan.

Veja a seleção que a Internazionale desperdiçou:

GOLEIRO: SÉBASTIAN FREY

Revelado pelo Cannes-FRA, foi para a Inter de Milão em 1998 como uma das grandes revelações do futebol francês. No entanto, passou três anos como reserva de Andrea Mazzantini e Gianluca Pagliuca, sendo emprestado ao Verona em 1999/00 para conseguir jogar um pouco. Após deixar o clube nerazzurri, em 2001, passou por Parma, Fiorentina e Genoa com muito sucesso, sendo titular dos três e chegando à seleção francesa entre 2007 e 2008, quando defendia a Viola.

LATERAL DIREITO: MIKAËL SILVESTRE

Começou a carreira no Rennes-FRA e chegou à Inter de Milão em 1998. Jogou apenas uma temporada pela equipe, fazendo 18 partidas, e em seguida foi repassado ao Manchester United. Nos Red Devils, virou titular absoluto e faturou cinco Premier Leagues, uma Champions e um Mundial de Clubes, entre outros títulos. Além disso, chegou à seleção francesa, com a qual conquistou duas Copas das Confederações. Ainda defendeu outros clubes importantes, como Arsenal e Werder Bremen.

ZAGUEIRO: FABIO CANNAVARO

Começou a carreira no Napoli, mas se destacou pelo Parma, entre 1995 e 2002, ganhando uma Copa da Uefa, duas Copas da Itália e uma Supercopa da Itália. Em 2002, foi contratado pela Inter de Milão, mas fracassou, fazendo só 74 jogos e deixando a equipe em baixa após sofrer lesões. Foi em 2004 para a Juventus, onde reergueu sua carreira, passando também depois pelo Real Madrid. Em 2006, capitaneou a Itália na conquista da Copa do Mundo, sendo depois eleito melhor do mundo pela Fifa.

ZAGUEIRO: MATTHIAS SAMMER

Revelado pelo pequeno Dynamo Dresden-ALE, o líbero arrebentou pelo Stuttgart entre 1990 e 1992, sendo contratado pela Inter de Milão após ser campeão da Bundesliga. No entanto, não se adaptou ao futebol italiano e à vida em outro país, e deixou o clube já em 1993, quando foi para o Borussia Dortmund. Pelos aurinegros, virou uma lenda, ganhando dois Alemães, duas Supercopas da Alemanha e uma Champions. Pela seleção, foi campeão da Eurocopa em 1996 e vice em 1992.

LATERAL ESQUERDO: ROBERTO CARLOS

Após arrebentar no Palmeiras da Parmalat, ganhando dois Brasileiros, dois Paulistas e um Rio-São Paulo entre 1993 e 1995, foi vendido para a Inter de Milão. No entanto, fez só uma temporada pelos italianos, anotando 34 jogos e sete gols, e foi para o Real Madrid na sequência. Na Espanha, tornou-se um dos maiores laterais da história, ganhando dezenas de títulos e alcançando status de lenda. Pela seleção, ganhou Copa do Mundo, Copa das Confederações e duas Copas América.

MEIO-CAMPISTA: CLARENCE SEEDORF

Uma das melhores revelações do “Super-Ajax” dos anos 90, passou com sucesso por Sampdoria e Real Madrid antes de chegar à Inter de Milão, em 2000. Passou dois anos no clube, mas saiu sem deixar saudades e com nenhum título na bagagem. Em seguida, foi para o rival Milan, time no qual arrebentou e cansou de levantar troféus, com um futebol refinado: dois Italianos, uma Copa da Itália, duas Supercopas da Itália, duas Champions, duas Supercopas da Uefa e um Mundial de Clubes.

MEIO-CAMPISTA: PHILIPPE COUTINHO

Foi comprado pela Inter de Milão por apenas 3,8 milhões de euros (R$ 14,73 milhões, na cotação atual) quando ainda estava na base do Vasco, em 2008. Com a camisa do time italiano, porém, fez apenas 50 partidas, anotando cinco gols e passando um período emprestado ao Espanyol. Foi vendido ao Liverpool em janeiro de 2013, e viu seu futebol florescer na Premier League. Agora no Barcelona, é titular da seleção brasileira e considerado um dos melhores jogadores do planeta.

MEIO-CAMPISTA: ANDREA PIRLO

Começou bem a carreira no Brescia-ITA e foi contratado pela Internazionale em 1998 como uma grande aposta. Assim como outros contemporâneos, não conseguiu se firmar na equipe e, após ser emprestado duas vezes, deixou os nerazzurri em 2001 para ir para o rival Milan. Assim como Seedorf, ganhou dezenas de títulos do lado rubro-negro de Milão e virou lenda. Ainda teve excelente passagem pela Juventus depois. Pela seleção italiana, foi essencial na conquista da Copa do Mundo de 2006.

ATACANTE: DENNIS BERGKAMP

ATACANTE: ROBBIE KEANE

Após ser revelado pelo Wolverhampton, passou com destaque pelo pequeno Coventry City e chamou a atenção da Internazionale, que assegurou sua contratação em 2000. Sua passagem pela Itália, porém, foi sofrível: só 16 partidas e quatro gols. Ele deixou o time em 2001 para ir para o Leeds United, mas acabaria se firmando depois no Tottenham – ainda jogou pelo Liverpool. Teve a carreira marcada por grandes atuações pela seleção da Irlanda na Copa do Mundo de 2002.

ATACANTE: NWANKWO KANU

Mais um jogador que a Inter de Milão trouxe do forte Ajax dos anos 90 e não soube aproveitar. O atacante nigeriano chegou à Itália em 1996 e ficou três anos no clube, mas entrou em campo apenas 18 vezes e só fez um gol. Depois, foi para o Arsenal, onde reencontrou o bom futebol e ganhou duas vezes a Premier League, sendo um dos grandes destaques da campanha de 2003/04, quando os Gunners levaram o título de maneira invicta. Ainda faturou duas FA Cups e uma Community Shield.