Raio de energia misterioso parece ter ultrapassado a velocidade da luz

Raio de energia misterioso parece ter ultrapassado a velocidade da luz

540
Compartilhar

299.792.458 quilômetros por segundo! Essa a velocidade exata a qual percorre a luz. É sabido que nunca foi registrado nada mais veloz do que a luz no universo. Porém, há 2 séculos atrás, acreditava-se que nada ultrapassaria a velocidade do som (340,29 metros por segundo).

Um estranho feixe de energia, que tem origem de um buraco negro, localizado no centro da galáxia M87, tem assombrado a comunidade científica.

O jato de M87 é mais do que apenas uma curiosidade.

Esse raio plasmático foi observado, pela primeira vez em 1918 pelo astrônomo Heber Curtis. Para ser visível de tão longe, ele tinha que ser monstruoso: cerca de 6 mil anos-luz.

Passados em torno de 80 anos – entre 1995 e 1999 –, os cientistas perceberam um notável avanço. A maneira como se movia era superior à forma como saía do buraco negro, o que levou à dedução de que havia então superado a velocidade da luz

Praticamente todas as galáxias têm um buraco negro central que, periodicamente, atrai estrelas e nuvens de gás. Isso aquece o buraco negro, e os campos magnéticos focalizam um pouco desse gás em jatos do plasma quente. Tais jatos são disparados em velocidades próximas – mas não mais rápidas do que – a da luz.

Raios assim são comuns em todo o Universo. Podem muitas vezes marcar o início ou o fim de uma estrela, por exemplo. Em todo caso, são muito misteriosos, já que não se sabe quanta energia eles têm e quão poderosos podem ser.

O universo

Em todo o universo, raios de energia disparados de buracos negros maciços podem parar ou iniciar a formação de estrelas. Mas não está claro como esses raios funcionam e quanta energia eles contêm.

Parecendo mover-se mais rapidamente do que a luz, eles mudam visivelmente em apenas alguns anos, o que é incomum para objetos distantes. Isso permite que os astrônomos façam estimativas precisas de quão rápido o plasma está se movendo e, portanto, quão poderoso é esse processo.

A galáxia M87 é especial porque está relativamente próxima de nós em comparação com outras galáxias, tornando-a mais fácil de estudar. Este último estudo, por exemplo, reuniu dados de mais de 20 anos de observação da M87.